Da Redação

Hampig Sassounian é libertado e está na Armênia após 40 anos

Em uma mensagem ao povo armênio, Hampig Sassounian anunciou nesta sexta-feira, dia 29 de Outubro, que está na Armênia. Leia abaixo

Caros Compatriotas,

Com grande felicidade, estou escrevendo à vocês da Armênia.

Depois de quase 40 anos, tenho a honra de estar no solo da Armênia, beber a água da Armênia, respirar seu ar e sentir-me em um ambiente familiar.

O apoio que vocês demonstraram ao longo dos anos sempre me encorajou e teve um impacto positivo nos meus dias mais difíceis.

Desejo expressar minha mais profunda gratidão a todos aqueles que me escreveram, me visitaram e sempre me mantiveram em seus corações.

Finalmente, estou em casa.

Com amor,
Hampig Sassounian

Hampig (Harry) M. Sassounian, é um armênio-americano que foi condenado à prisão perpétua em 1982 após o assassinato do cônsul geral turco Kemal Arıkan em um cruzamento em Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos. Sassounian nasceu em Beirute, no Líbano, e veio de uma família de armênios que escaparam do Genocídio Armênio. Durante o julgamento, os promotores indicaram que Sassounian “estava motivado a matar Arikan por vingança dos crimes turcos contra 1,5 milhão de armênios entre 1915 e 1923”.

A liberdade em condicional de Sassounian ocorre após o Tribunal Superior do Condado de Los Angeles no mês passado reverter a decisão do governador Gavin Newsom de negar a liberdade condicional, e sob objeções do Departamento de Estado dos EUA. Durante anos, advogados e defensores de Sassounian argumentaram que ele demonstrou remorso por seu crime e que deveria ser libertado após cumprir quase 40 anos de prisão.

No sul da Califórnia, onde fica a maior comunidade armênia fora da Armênia, a notícia da iminente libertação de Sassounian gerou um suspiro de alívio comunitário após anos de defesa de seu nome.

“Isso é algo em que todos protestamos quando aconteceu e nos últimos 40 anos”, disse Nora Hovsepian, presidente do Comitê Nacional Armênio da região oeste da América. “Não porque alguém tolere a violência – esse não é o ponto… ele cumpriu sua pena. Ele se reabilitou. ”

Ela acrescentou: “Não é o ato específico em que ele se envolveu, mas é uma compreensão do que o levou a isso. Ele era tão jovem quando foi preso e meio que se tornou um símbolo da injustiça contínua que nós, como comunidade, continuamos a sofrer nas mãos dos turcos ”.

Matérias Relacionadas
ArtsakhDa Redação

Azerbaijão lança ataque massivo à Armênia; Rússia media o cessar-fogo

Fontes : Asbarez Dados não oficiais indicam 15 soldados armênios…
Leia mais
Artsakh

Ministro das Relações Exteriores da Armênia denuncia Azerbaijão em Moscou

Fontes : Mirror Spectator O novo ministro das Relações Exteriores da…
Leia mais
Genocídio Armênio

OAB-SP reconhece o Genocídio Armênio

Na última segunda, dia 19 de julho, o conselho da Ordem dos Advogados do…
Leia mais

Deixe um comentário