Azerbaijão lança ataque à Artsakh

0
4
Fontes :
PanArmenian, Asbarez, ArmenPress

As forças armadas do Azerbaijão lançaram ataques aéreos contra alvos civis armênios em Artsakh, incluindo Stepanakert, na manhã deste domingo, 27 de setembro.

“Assentamentos pacíficos também estão sendo bombardeados, incluindo a capital, Stepanakert. Aconselhamos a população a procurar abrigo. Ao mesmo tempo, anunciamos que nossa resposta será proporcional e toda a responsabilidade pela situação recairá sobre a liderança político-militar do Azerbaijão e, pessoalmente, Ilham Aliyev”, disse Vahram Poghosyan, porta-voz do presidente da Artsakh Arayik Harutyunyan.

“Neste momento existem dezenas de feridos entre a população civil. O inimigo atacou principalmente com artilharia e assentamentos civis. Lamentavelmente, também temos duas mortes, uma mulher e uma criança”, disse Poghosyan.

Tanto a Armênia quanto Artsakh declararam a lei marcial e a mobilização total do contingente militar.

“Nada, nada, nem uma única coisa nos fará dar um passo atrás no caminho da defesa da liberdade e dos direitos do povo Artsakh. Viva a República de Artsakh. Viva o heroico povo de Artsakh. Glória ao exército armênio”, disse o Primeiro Ministro armênio, Nikol Pashinyan, em sua página no Facebook

O ataque acontece após sucessivas declarações contra os armênios de Ilham Aliyev, presidente do Azerbaijão. Em seu discurso na ONU, no último dia 20, acusou os armênios de ocuparem terras azerbaijanas e disse que a Armênia estaria preparando um ataque, já preparando a retórica para a agressão planejada deste domingo.

Em entrevista no último dia 24, Aliyev declarou que “Nagorno-Karabakh é nossa terra antiga e histórica, e vamos retornar a essas terras. Vamos restaurar todos os locais e casas históricas destruídas. Daremos nomes às ruas do Azerbaijão e devolveremos às aldeias renomeadas seus nomes reais. […] A atual Armênia foi estabelecida em terras historicamente do Azerbaijão. Existem documentos históricos suficientes para corroborar isso. Nunca permitiremos a criação de um segundo estado armênio. Karabakh é nosso, Karabakh é o Azerbaijão.”

“As recentes declarações agressivas do Azerbaijão, exercícios militares conjuntos em grande escala com a Turquia, bem como a recusa do monitoramento da OSCE mostram que a agressão foi planejada; foi uma provocação em larga escala contra a paz e a segurança na região”, disse Pashinyan.

As forças de defesa de Artsakh reportaram que dois helicópteros, cerca de 14 drones, bem como veículos blindados do Azerbaijão foram destruídos. O Azerbaijão já havia atacado a fronteira da Armênia, em Tavush, em Julho deste ano, também com baixas.

Militares armênios destroem taque azerbaijano que atacava a fronteira

“Declarei a lei marcial e a mobilização geral de pessoas com mais de 18 anos. Temos afirmado numerosamente que nos opomos à guerra, mas estamos prontos para a guerra. Ninguém ama e favorece a paz tanto quanto nós. Não queríamos a guerra, esta guerra nos foi imposta e temos a obrigação de defender nosso país e nossas famílias. Toda a responsabilidade pela escalada recai sobre o governo político-militar do Azerbaijão. Pessoalmente, o presidente Aliyev do Azerbaijão será responsável pelo potencial desastre humanitário na região”, disse Harutyunyan.

Veja abaixo comunicado oficial do Escritório do Alto Comissário para Assuntos da Diáspora:

“Às 7h10 deste domingo, horário da Armênia, as forças armadas do Azerbaijão lançaram ataques aéreos e de artilharia ao longo de toda a linha de contato Artsakh-Azerbaijão. As forças do Azerbaijão foram empurradas para trás em várias direções, sofrendo perdas humanas e técnicas, em particular três tanques, dois helicópteros e vários drones de combate. O confronto continua ao longo de toda a linha de contato.
Nosso exército de defesa está respondendo aos ataques do inimigo com ações decisivas.

A liderança político-militar do Azerbaijão, especificamente Ilham Aliyev, é a única responsável pela escalada militar e por toda a situação.

Assentamentos pacíficos, incluindo a capital Stepanakert, também estão sendo bombardeados. A população foi chamada a se refugiar e permanecer em abrigos. Mortes de civis foram relatadas do lado armênio.

Em uma mensagem dirigida a todos os armênios, o primeiro-ministro Nikol Pashinyan declarou: “Devemos permanecer firmes com nossa nação e com nosso exército, em defesa de nossa sagrada pátria. E nós vamos vencer. ”

O Ministro da Defesa da República da Armênia, Davit Tonoyan, conversou por telefone com o Representante Pessoal do Presidente em exercício da OSCE, Andrzej Kasprzyk. O ministro informou que o Azerbaijão lançou outra provocação e a situação na fronteira.

A lei marcial e a ampla mobilização de todos com 18 anos ou mais foram declaradas em Artsakh. No momento, não há necessidade de voluntários, o Ministério da Defesa da República da Armênia fará uma declaração especial, se necessário.”

Veja abaixo imagens de Stepanakert após o ataque azerbaijano:

Comment(4)

Deixe um comentário