Da Redação

Armênia e Turquia nomeiam enviados em tentativa de normalizar relações

Turquia e Armênia nomearam enviados especiais para discutir medidas para normalizar as relações. Os dois países também reiniciarão os vôos entre Istambul e Yerevan.

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan nomeou o ex-embaixador de Ancara nos Estados Unidos, Serdar Kilic, como enviado especial para negociar a normalização das relações, segundo o ministro das Relações Exteriores do país.

Negador notório do Genocídio Armênio, Kilic trabalhou ativamente para impedir o reconhecimento do genocídio pelo Congresso americano. Seus esforços falharam quando a Câmara e o Senado reconheceram de forma esmagadora o Genocídio Armênio, preparando o terreno para o reconhecimento do presidente Joe Biden este ano.

Kilic era embaixador quando os guarda-costas de Erdogan espancaram violentamente manifestantes em Washington durante a visita do presidente turco em encontro com o ex-presidente Donald Trump. Ele impediu a aplicação da lei no momento em que confrontou com raiva os policiais de Washington enquanto a confusão orquestrada por Erdogan acontecia.

Chamando-o de “um degenerado negador do genocídio armênio”, o Comitê Nacional Armênio da América postou uma foto de Kilic gritando com um policial durante o protesto de 2017 no Círculo Sheridan de Washington.

Sedar Kilic incitando a violência contra armênios.

O vice-presidente da Assembleia Nacional da Armênia, Ruben Rubinyan, será o representante especial da República da Armênia para o processo de normalização de relações entre os países, segundo o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Vahan Hunanyan.

Ruben Rubinyan

Em 2009, Ancara e Yerevan chegaram a um acordo para estabelecer relações formais e abrir sua fronteira conjunta, mas a Turquia disse mais tarde que não poderia ratificar o acordo até que a Armênia se retirasse de Artsakh. O território fica geograficamente dentro do Azerbaijão, mas estava sob o controle de forças étnicas armênias apoiadas pela Armênia.

No ano passado, a Turquia apoiou fortemente o Azerbaijão no conflito de seis semanas com a Armênia sobre Artsakh, que terminou com um acordo de paz mediado pela Rússia que viu o Azerbaijão ganhar o controle de uma parte significativa do território.

A Turquia e a Armênia têm uma hostilidade de mais de um século pelas mortes de cerca de 1,5 milhão de armênios em massacres, deportações e marchas forçadas que começaram em 1915 na Turquia otomana e ficou conhecido como Genocídio Armênio.

A Turquia nega responsabilidade pela morte de armênios e até os dias de hoje promove uma propaganda negacionista em uma tentativa de distorcer os eventos históricos.

Matérias Relacionadas
Da Redação

Presidente armênio Armen Sarkissian renuncia por falta de influência

Fontes : Daily Sabah, ArmenPress, PanArmenian, President.am O presidente…
Leia mais
Da RedaçãoTudo

Hrant Dink: Há 15 anos, jornalista armênio era assassinado na Turquia

No dia 19 de janeiro de 2007, em Istambul, na Turquia, o jornalista turco de origem armênia Hrant…
Leia mais
Da Redação

Declaração do Comitê da FRA sobre a normalização das relações entre a Armênia e a Turquia e a resolução do conflito de Artsakh

Fontes : CNA Argentina A Federação Revolucionária Armênia tem…
Leia mais

Deixe um comentário