Vídeo relembra a inauguração da primeira Igreja Apostólica Armênia de São Paulo em 1938

0
0

Esta semana foi publicado no YouTube um vídeo que resgata o evento de lançamento da pedra fundamental e inauguração da Igreja Apostólica Armênia São Jorge em São Paulo. O vídeo foi publicado por Sônia Maria de Freitas, doutora em história pela USP, historiadora do Memorial do Imigrante e autora do livro Presença Armênia em São Paulo. 

As imagens, em preto e branco e sem som, retratam o o dia do lançamento da pedra fundamental em 21 de março de 1937, um Domingo de Ramos. Pouco mais de um ano após o evento, no dia 10 de abril de 1938, a igreja São Jorge foi inaugurada, novamente em um Domingo de Ramos. O vídeo mostra as primeiras imagens da igreja e a cerimônia que contou com presença de autoridades e membros das colônias armênia e síria.

Assista abaixo:

 

Texto original do vídeo no YouTube por Sônia Freitas:

RIZKALLAH JORGE TAHANIAN E AS IGREJAS APOSTÓLICAS ARMÊNIAS DE SÃO PAULO

Considerado um grande benemérito, Rizkallah Jorge Tahanian desempenhou um papel fundamental nas construções da Igreja Apostólica Armênia do Brasil em São Paulo. Nascido em 1867 na cidade síria de Alepo, com o nome armênio Asdvadzdur Kevork Tchraghatzbanian, era filho de Kevork Tchraghatzbanian, família originária de Sassoun (região armênia ocupada pelos otomanos). Rizkallah não teve recursos para estudar e aprendeu habilmente com o pai os ofícios da metalurgia, tornando-se mestre soldador e um virtuoso no trabalho com metal.

Em de março de 1895, Rizkallah casou-se com Zakie Nakashian, filha de Mardo, um ourives de Alepo. Seis meses depois, diante da crise na indústria de cobre na região, decidiu tentar a sorte no Brasil. Radicou-se em São Paulo e foi admitido como empregado em uma metalúrgica, na qual assumiu o cargo de gerente geral de fábrica em pouco tempo. Comprou um imóvel de dois andares na Rua Florêncio de Abreu para residir no pavimento superior e abrir seu próprio negócio no térreo, fundando “A Casa da Boia”, em 1898.

Extremamente religioso, Rizkallah acreditava que a sua riqueza era fruto de muito trabalho graças a uma dádiva divina e considerava o amparo às comunidades armênia e síria uma obrigação moral, o que o fez acolher dezenas de imigrantes armênios com hospedagem e emprego em sua fábrica. Ele permitia a realização de missas em seu estabelecimento. Colaborou com a finalização da Igreja São João Batista, a primeira Igreja Apostólica Armênia do Brasil, inaugurada em 1932, em Presidente Altino, no município de Osasco, um pioneiro e expressivo núcleo armênio no país.

Rizkallah também propiciou a construção da Igreja São Jorge, na capital paulista, cuja pedra fundamental foi lançada no domingo de Ramos de 21 de março de 1937, sendo a sagração realizada pelo padre Gabriel Samuelian. A inauguração ocorreu em 10 de abril de 1938 e a igreja foi consagrada pelo Arcebispo Karekin Khatchadurian no dia 24 de setembro daquele o ano. A edificação, porém, sucumbiu às obras de alargamento da Avenida Senador Queiroz, realizadas na gestão do prefeito Prestes Maia, celebrando-se a última missa em 10 de maio de 1943.

O alento para Rizkallah e a coletividade armênia veio com o projeto de construção de uma nova igreja, em um terreno adquirido na Avenida Tiradentes, número 835, em São Paulo. O lançamento solene da pedra fundamental ocorreu em 1945 e a consagração foi celebrada pelos padres Gabriel Samuelian e Yeznig Vartanian aos 25 de março daquele ano, em uma cerimônia repleta de representantes da comunidade.

Também em 1945, respectivamente nos dias 22 de agosto e 11 de setembro, a planta arquitetônica foi registrada na prefeitura municipal sob o número 2.770 e o alvará para construção foi expedido com o número 13.576. A abertura oficial dessa segunda edificação da Igreja São Jorge data de 03 de abril de 1949. Três dias depois, verificou-se a emissão do “habite-se” e, no dia 24 daquele mês, o arcebispo prelado titular Karekin Khachadurian consagrou a igreja. A autoria do respetivo projeto e o acompanhamento das obras couberam ao escritório Mahfuz Ltda, do engenheiro arquiteto Michel Elias Mahfuz, casado com Rosa, filha de Jorge Rizkallah Jorge, filho mais velho de Rizkallah.

A bem da verdade, cabe ressaltar que a construção da Igreja São Jorge remanescente foi totalmente patrocinada por Rizkallah, que também repassou o terreno do entorno, no qual foram construídos anexos para prelazia, salão de festas e moradia de bispos, padres, arciprestes e servidores, bem como as instalações da Escola. Além das benfeitorias erguidas para a comunidade armênia de São Paulo, Rizkallah doou, em 1911, o campanário e o sino para a Igreja Armênia dos Quarenta Mártires, localizada em sua cidade natal (Alepo, na Síria), onde um busto foi colocado em sua homenagem.

Foi muito dedicado à Igreja Apostólica Armênia, realizou, inclusive, três visitas ao Patriarcado Armênio de Jerusalém e fazendo importantes doações à Irmandade de Surp Hagop. Ele atribuía a sua fé às idas com o pai à igreja todos os dias pela manhã e também à noite e fazia questão de relatar: “Só essa lembrança do meu pai é suficiente para que goste da Igreja Armênia até meu último suspiro e trabalhe por sua continuidade e brilho”.

A fama da atuação Rizkallah chegou à Santa Sé, em Etchmiadzin. O Patriarca Supremo de Todos os Armênios, Kevork V, enviou por meio do então representante sul-americano, o Arcebispo Karekin Khatchadurian, a medalha de São Gregório Iluminador em Primeiro Grau, um reconhecimento outorgado apenas aos maiores beneméritos da Igreja Armênia no mundo. A honraria veio acompanhada de uma Bula Katolicossal, sendo ambas entregues na cerimônia de inauguração da Igreja Armênia São Jorge. Rizkallah também foi homenageado com um busto colocado no pequeno jardim existente no átrio. 

 

Deixe um comentário