Onnig ComentaTudo

Lapshin: um blogueiro que conheceu Artsakh, criticou o Azerbaijão e foi extraditado

A República de Belarus, que um dia já foi conhecida por Bielorrússia, deportou um cidadão russo-israelense para o Azerbaijão. Seu crime: visitar Artsakh/Karabakh e apoiar a justiça, ou seja, o povo armênio.


O que podemos esperar de um ditador inescrupuloso que governa seu país desde 1993? Basicamente ele não é um exemplo de democracia, especialmente na Europa do pós-guerra fria. 
Esse violento líder é Aleksandr Lukashenko, presidente de Belarus e o mais novo capacho do Azerbaijão.

Ontem (07/02), esse fanfarrão e sua suprema corte autorizaram a extradição de Alexander Lapshin, um blogueiro de viagens muito conhecido no leste europeu. Em seu blog “Life Adventures” ele detalha os problemas, lugares diferentes, aspectos culturais e até mesmo as paqueras de cada região que visita.

Pois bem; Lapshin visitou Artsakh/Karabakh em 2011 e 2012 e aderiu a justa causa do povo armênio que decidiu tomar o destino de suas terras históricas em suas mãos e acabar com a intervenção azerbaijana iniciada na fase soviética.

Lapshin criticou com veemência a posição intransigente e violenta do governo azerbaijano e protestou em seu blog contra as atitudes do ditador Ilham Aliyev e seu discurso de ódio contra os armênios. existe uma “lista negra” azerbaijaina com todos que visitam a região historicamente armênia, inclusive há alguns brasileiros nela e até o New York Times aparece (veja aqui).

Lapshin não é armênio. Ele tem cidadania russa e israelense. Vive viajando o mundo com esses passaportes. Já passou inclusive pelo próprio Azerbaijão escrevendo como blogger de turismo sem nenhum problema.

De forma muito estranha para muitos, e até mesmo inesperada para outros, Lapshin foi preso na Bielorrússia semanas atrás a pedido do governo do Azerbaijão.

Ontem mesmo o blogger foi extraditado para Baku, capital do Azerbaijão, e está preso sob custodia das autoridades azerbaijanas. Nem os protestos do governo russo foram suficientes para evitar esse violento crime contra os direitos humanos e as relações internacionais.

Anos atrás, o governo da Hungria extraditou para o Azerbaijão o militar azerbaijano Ramil Safarov que assassinou a golpes de machado o oficial armênio do exército Gurgen Margaryan em um treinamento de capacitação da ONU em Budapeste. O governo azerbaijano, que havia prometido prender Safarov, na verdade o recebeu como herói e o colocou em liberdade (relembre aqui).

Enquanto escrevo aqui fico me perguntando o que estará acontecendo com esse rapaz, Alexander Lakshin, neste exato momento? Ele está nas masmorras de uma violenta ditadura e pode estar até sendo torturado.

Liberdade a Lapshin! Abaixo Lukashenko! Morte ao ódio! E para Aliyev, destino toda a minha força política para vê-lo derrubado de seu trono!
_

 

****James Onnig Tamdjian é colunista do Estação Armênia e suas opiniões não refletem necessariamente às do portal.

 

Sobre o autor

Artigos

Professor de Geografia e Geopolítica. Fleumático, colérico, sanguíneo e melancólico.
Matérias Relacionadas
Esportes

Alashkert vence e avança para a próxima fase da UEFA Champions League

Equipe armênia eliminou o Connah’s Quay Nomads do País de Gales na prorrogação. O…
Leia mais
Da Redação

OTSC decide não agir em invasão do território armênio

O agravamento da situação no sul da Armênia em conexão com o estabelecimento de uma nova…
Leia mais
Da Redação

Nikol Pashinyan vence eleições antecipadas na Armênia

Fontes : PanArmenian, Tert.am, Hetq O partido Contrato Civil, do Primeiro-Ministro…
Leia mais

Deixe um comentário