ConheçaEsportesTudo

Sem nunca ter ido a uma Copa do Mundo, Armênia esteve presente (e foi campeã) em 1998

1998: A copa do Mundo é nossa!

A Seleção Armênia de futebol, fundada quando da 2ª independência do país, em 1992, jamais disputou uma copa do mundo, porém dois armênios conquistaram a copa do Mundo pela Seleção Francesa. E é essa história que o nosso colaborador Jonas Verás conta.


Na final da Copa do Mundo de Futebol de 1998 entre Brasil e França, quando o placar no Stade de France marcava 2 a 0 para a seleção anfitriã, aos 12 minutos do segundo tempo subia a placa para anunciar uma substituição: Saía Christian Karembeu
e entrava Alain Boghossian, o maio campista de origem armênia faria então companhia a Youri Djorkaeff que também possui ascendência armênia.

Aos 30 minutos do segundo tempo Djorkaeff foi substituído pelo jovem Patrick Viera e viu, do banco de reservas, o gol de Emmanuel Petit que deu números finais à decisão. Com o placar de 3 a 0 a Seleção francesa derrotava o Brasil e sagrava-se campeã mundial pela primeira vez. Já os brasileiros lamentavam a derrota mais dolorosa desde o Maracanazzo em 1950 (ainda nem sonhávamos com o 7 x 1).

Festa na França e festa entre os armênios que viviam no país.

Carreiras:

O meia-atacante Youri Djorkaeff nasceu em 1968 e possui raízes armênias provenientes de sua mãe, Mary. Ele também é filho do jogador Jean Djorkaeff que defendeu a seleção francesa na década de 1960. A Carreira de Youri teve inicio em 1984 no Grenoble, time pelo qual ele marcou 23 gols em 82 jogos. Após curta passagem pelo Strasbourg, Djorkaeff foi para o Mônaco, equipe na qual sua carreira deslanchou. No Principado, o atacante marcou 65 gols em 177 jogos e foi artilheiro do campeonato francês de 1993-1994 com 20 gols. A boa fase no Mônaco fez com que Djorkaeff fosse transferido para o PSG em 1995 e no ano seguinte para a Internazionale de Milão onde permaneceu por 3 anos.

Mais jovem que seu companheiro, Alain Boghossian nasceu em 1970 e iniciou a carreira no Olympique de Marseille em 1988, revezando-se entre o banco de reservas e a titularidade. Em 1992 foi para o pequeno Istres onde jogou 33 partidas e marcou 8 gols em atuações que o fizeram voltar ao  Olympique no ano seguinte . Após 31 jogos e 3 gols, Boghossian foi contratado pelo Napoli em 1994 e deu o pontapé inicial em sua trajetória no futebol italiano, pelo qual também atuou por Sampdoria e Parma.

Na seleção francesa, Djorkoeff estreou em 1993, tornou-se titular no mesmo ano e disputou a Eurocopa de 1996. No ano seguinte, 1997, Boghossiam fazia sua primeira partida pelos Les Bleus.

A Copa de 1998 marcou o auge dos jogadores armênios na seleção francesa. Boghossian atuou em 5 partidas (inclusive na final), porém o único confronto em que ele jogou os 90 minutos foi na vitória por 4 a 0 diante da Arábia Saudita, ainda pela fase de grupos. Já Djorkaeff foi mais efetivo, disputou todos os 7 jogos da França, foi um dos destaques da equipe e marcou um gol contra a Dinamarca na primeira fase, quando os franceses venceram por 2 a 1.

Após a Copa do Mundo, a seleção francesa ainda conquistou a Eurocopa de 2000 e a Copa das Confederações de 2001 com Djorkaeff atuando nas duas conquistas. Boghossian se lesionou nesse período e não participou destas duas campanhas vitoriosas da França

Boghossian e Djorkaeff despediram-se juntos dos Les Bleus em 2002, após a péssima campanha na qual a França foi eliminada na primeira fase da Copa. Naquele ano Boghossian não suportou as lesões e se aposentou aos 32 anos, após 5 partidas pela equipe do Espanyol. Djorkaeff, por sua vez, ainda teve uma carreira mais longínqua: Em 2002, após 3 anos no futebol alemão, ele se transferiu para o Bolton da Inglaterra, passou pelo Black Burn e encerrou sua trajetória em 2006, aos 38 anos, após 2 temporadas no New York Red Bulls, na Major League Soccer dos EUA.

Depois de pendurar as chuteiras, Alain Boghossian disputou alguns campeonatos de golfe, foi assistente técnico da seleção francesa e atualmente é diretor técnico da Federação Francesa de Futebol. Youri Djorkaeff permaneceu nos Estados Unidos após a aposentadoria e atualmente mantém uma fundação que desenvolve programas de futebol em Nova York. Em 2009 ele tentou iniciar uma carreira musical, porém não obteve grande sucesso.

 

Matérias Relacionadas
CulturaEventos

Lançamento do livro “A Coletividade Armênia do Brasil”

Após longos anos de espera, será realizado o lançamento do livro “A Coletividade Armênia do…
Leia mais
Da Redação

Tribunal Europeu dos Direitos Humanos condena Azerbaijão por violar o direito à vida de armênios

Fontes : Diario Armenia Em duas sentenças emitidas no último dia 4 de…
Leia mais
ArtsakhDa Redação

Azerbaijão lança ataque massivo à Armênia; Rússia media o cessar-fogo

Fontes : Asbarez Dados não oficiais indicam 15 soldados armênios…
Leia mais

Deixe um comentário