Home Da Redação No Vaticano, Catholicos Aram I foi recebido pelo Papa Francisco
0

No Vaticano, Catholicos Aram I foi recebido pelo Papa Francisco

0

(Via ArmRadio)

Na última sexta-feira (11), no Vaticano, aconteceu a reunião agendada entre o Papa Francisco e o Catholicos Aram I, líder espiritual armênio da Sede da Santa Casa da Cilícia, que fica em Antelias, no Líbano. 

Depois de compartilhar cumprimentos, o Catholicos Aram I expressou seu grande apreço por dois pronunciamentos feitos pelo Papa Francisco em relação ao genocídio armênio de 1915, como o primeiro genocídio do século 20, que tinha feito em 2015 no Vaticano e em 2016 em Yerevan. Sua Santidade o Papa Francisco reiterou sua convicção sobre este assunto.

arami_epapa_francisco_2016

Falando acerca dos conflitos no Oriente Médio e dos problemas atuais das igrejas, Aram I disse que as igrejas tinham sofrido dificuldades à custa do martírio durante séculos, e, ainda hoje, elas permanecem comprometidas com sua vocação. Em seguida, ele agradeceu ao Papa Francisco por defender os direitos dos cristãos no Oriente Médio e por apoiar os esforços no sentido de cooperação e convivência entre cristãos e muçulmanos.

O Papa Francisco deu as boas-vindas e um lembrete ao Catholicos, sublinhando, por sua vez, a importância vital da presença cristã no Oriente Médio e deixando claro que o Vaticano continua solidário a esta questão. Neste contexto, os dois Pontífices enfatizaram a necessidade de continuar, com ritmo renovado, o diálogo inter-religioso e a colaboração em geral, e entre cristãos e muçulmanos em particular, para enfrentar juntos as preocupações e desafios das sociedades modernas.

Sua Santidade Aram I falou também sobre a importância da unidade da Igreja, assinalou que o estabelecimento de uma data em comum para a Páscoa seria uma expressão visível da unidade dos cristãos. Francisco recordou Aram I que, durante as últimas décadas, a Igreja Católica tem dado especial atenção a este assunto e saúda todos os esforços com vista a fixação de uma data em comum, o que poderia ser aceitável por todas as igrejas.

Aram I compartilhou com o Papa Francis a notícia que, eventualmente, o Líbano tinha um novo presidente na pessoa do general Michel Aoun, considerando-o um passo importante para o aprofundamento da convivência entre cristãos e muçulmanos no Líbano.

Referindo-se às relações históricas entre a Catholicossato Armênio da Cilícia e do Vaticano, que remonta ao tempo do Reino Armênio da Cilícia, Sua Santidade Aram I reafirmou seu compromisso de continuar a relação bilateral e colaboração com o Vaticano.

Ao final do encontro, os dois Pontífices enfatizaram mais uma vez a importância decisiva de levar a igreja para as pessoas através de várias diferentes iniciativas, que tornam a igreja uma realidade relevante na vida das pessoas.

 

Catholicossato da Cilícia 


Como a capital armênia mudou de um lugar para outro – já que diferentes conquistadores passaram pela Armênia, e diferentes reinos armênios subiram e cairam – o último grito da independência armênia antes dos tempos modernos soou na costa sul-oriental da Turquia, hoje, uma região conhecida historicamente como Cilícia (Çukurova em turco moderno), onde um reino armênio durou 1198-1375.

Antelias hoje inclui uma catedral, um museu e uma biblioteca, além de servir como residência do Catholicos da Grande Casa de Cilícia – como título formal – e preparar o clero para servir as várias freguesias armênias sob sua jurisdição. A Santa Sé da Cilícia cuida do rebanho armênio no Líbano, Síria (Aleppo), Chipre, Grécia, Irã e os países do Golfo.

Saiba mais sobre a Santa Sede da Cilícia, clique aqui.

A sede do Catholicossato de todos os armênios fica em Etchmiadzin

 

A Igreja Armênia encarna uma das heranças mais antigas do cristianismo no mundo. Após a conversão da Armênia por São Gregório, o Iluminador, segundo a tradição, em 301 dC, o trabalho de construção de igrejas começou – muitas vezes à custa de casas de pagãos. Enquanto as aparições da Virgem Maria não são incomuns em todo o mundo cristão ao longo dos últimos dois mil anos, visões de Jesus ocorreram comparativamente menos vezes. Uma dessas vezes foi antes de São Gregório, demarcando onde um templo era para ser feito, batendo no chão com um martelo de ouro. Essa tradição deu origem ao nome da igreja que foi construída – “Etchmiadzin”, que significa “O Unigênito [O Único Filho de Deus] Descendente”.

Etchmiadzin é, portanto, um lugar muito sagrado na herança armênia. Não surpreendentemente, ele se transformou em sede do Catholicos de todos os Armênios, o patriarca que lidera a Igreja Apostólica Armênia e as dioceses que estão sob Etchmiadzin. No momento do início do século IV, a cidade de Vagharshapat, onde ele está localizado, foi a capital do reino da Grande Armênia. Assim como capitais e reinos mudaram ao longo dos séculos seguintes, também mudou os Catholicos.

Para saber mais sobre a Santa Sede de Etchmiadzin, clique aqui.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *