Home Esportes O skate finalmente conhece a Armênia e Artsakh

O skate finalmente conhece a Armênia e Artsakh

0

Aqui no Portal Estação Armênia já demos espaço ao tema Skate na Armênia por diversas vezes. Esse objeto que muitos veem como um brinquedo, possui mais de 8,5 milhões de praticantes apenas no Brasil, a segunda maior cena do mundo atrás apenas dos EUA.

O mercado do skate é gigantesco e cada vez mais grandes corporações, multinacionais e afins tem investido no skate. Investido não é a palavra certa, o correto seria dizer que elas se aproveitam do skate, esse estilo de vida que ultrapassa as barreiras do esporte e que nasceu no berço da contracultura.

barney-page-bs-tailslide-stepanakert-karabakh-alexey-lapin
Barney Page – bs tailslide durante a saída da escola em Stepanakert, capital de Artsakh)

Eu, Armen Kevork, como skatista e descendente de armênios, nas duas vezes em que visitei a Armênia levei meu skate junto. Não por pensar que lá eu encontraria picos (termo para lugares que podem ser “skatáveis”) ótimos, mas sim pelo skate fazer parte da minha vida, do estilo de vida que levo. Como ir à Armênia e não andar de skate lá? E, nessas duas vezes que visitei a Armênia, me surpreendi com a quantidade de picos e locais para se andar, inclusive em Artsakh (Nagorno-Karabakh), que visitei em 2014. Os skatistas costumam se aventurar em novos lugares. No skate sempre foi assim, haja vista os exemplos de Barcelona, China e tantos outros lugares que um dia eram impensáveis em conceber bons picos para o skate.

Devido a tudo isso, em minhas estadas na Armênia, sempre imaginei quando seria o dia em que skatistas do mundo descobririam nossa belíssima pátria-mãe. Em 2011, assim que voltei da primeira viagem à Armênia falei sobre a cena e como era o skate por lá, em um bate papo com Douglas Prieto, na época colunista e hoje editor da Revista CemporcentoSKATE, que é onde trabalho (leia aqui).

Passados alguns anos, há poucos meses já tive a grata surpresa em poder assistir “Kyanq“, um curta metragem de skate filmado na Armênia e em Nagorno-Karabakh. O filme conta com belíssima direção fotográfica do videomaker Brett Novak que capturou as imagens do skatistas profissional suiço Alexander Rademaker, em uma parceria com a ONG One Armênia (clique aqui e saiba mais).

Esta semana, a Red Bull soltou um especial de 3 capitulos com um time de skatistas procurando novos picos pelo cáucaso, intitulada Zigzagging the Caucasus. Patrik Wallner mais uma vez reuniu um esquadrão eclético de skatistas como Barney PageGosha Konyshev, Madars Apse, Walker Ryan e a lenda skate de rua Pat Duffy para destinos inesperados, rendendo um material de primeiríssima qualidade. A Geórgia, Armênia e a pequena região de Nagorno-Karabakh foram exploradas em busca de picos virgens e de uma cultura desconhecida. Duffy e Ryan logo voltaram pros EUA.

Obviamente, esses 3 grandes e renomados skatistas puderam andar em monumentos e locais com prévia autorização, em Yerevan e Stepanakert, capitais da Armênia e de Nagorno-Karabakh, respectivamente, coisa que não consegui nas duas vezes que visitei a Armênia e acabei ficando restrito a andar em alguns picos de rua e na praça da Ópera.

Enfim, o mais importante de tudo é que o skate, enfim, conheceu a Armênia.

Para ler a matéria original, clique aqui!

Assista abaixo:

Veja a galeria de fotos, abaixo:

 

 

Armen Kevork Pamboukdjian Editor-chefe e redator do Estação Armênia. Nascido na capital Paulista, é formado em jornalismo pela Universidade Nove de Julho, em skate pela faculdade das ruas e em causa armênia pela universidade da luta e resistência.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *