Home Cultura Saiba mais sobre a culinária armênia

Saiba mais sobre a culinária armênia

0

A culinária armênia é mais conhecida do que se imagina: alguns pratos típicos, como a esfiha e o kibe, popularizaram-se mundo afora. No entanto, muitas pessoas a confundem com a gastronomia árabe. De fato, à primeira vista elas são parecidas, mas saboreando os típicos pratos armênios percebe-se que eles possuem suas particularidades.

A esfiha armênia (lehmeyun), por exemplo, possui um gosto diferente. Isso porque, diferente da temperada cozinha árabe, a armênia é rica em ervas aromáticas, além de vegetais, frutas e nozes.  A culinária é baseada em carnes e derivados do leite. Alguns ingredientes comuns são o picles e o trigo partido, que substitui o arroz.

imagem 01

O pão típico, chamado lavash, é parecido com um crepe e feito de farinha de trigo. Tradicionalmente, o pão costuma ser preparado em um fogão a lenha, o “tonir”. Entre os doces, destacam-se o kyata, que tem como base farinha, açúcar e manteiga, e o nazuk, um tipo de pão recheado.

Um dos símbolos da gastronomia armênia é o basturma, uma carne seca armênia que pode ser feita com carne de vaca, cavalo, carneiro, cabrito ou de aves. A basturma guarda uma história interessante: surgiu na época em que viajantes levavam carnes salgadas para se alimentar durante as longas viagens. Com o tempo, foram incorporadas ervas secas.

imagem 02

Já o sujuk é uma espécie de linguiça de carne de vaca, condimentada com pimenta, cominho e summac. Ele costuma ser servido cozido, e no preparo não é necessário adicionar óleo, já que a gordura do alimento é suficiente para fritá-lo. O sujuk é acompanhado geralmente de ovos, assemelhando-se ao bacon.

As sopas são um capítulo à parte. A mais conhecida é a khash, um caldo fervido durante um dia com especiarias, carne de vaca ou carneiro. Outra tradicional é a sopa de coalhada com kibe. Há ainda as versões frias, como uma preparada com hortelã e pepinos.

imagem 03

Quanto às bebidas, uma curiosidade: você sabia que o vinho pode ter origens armênias? Segundo artigo da Sonoma, o vinho teria surgido naquela região: “Em que momento, então, começou oficialmente a fazer parte da história? Exatamente a partir da domesticação das vinhas, a partir da Revolução da Agricultura. O mais aceito pelos pesquisadores é que sua origem está exatamente entre a Geórgia, Armênia e Turquia, numa região conhecida como Cáucaso. E há quanto tempo? Nada mais nada menos que 8 mil anos”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *