Novo projeto de lei contra negação do genocídio armênio será apresentado ao Parlamento francês

0
0

Sites armênios de notícias afirmam que a deputada francesa Valérie Boyer iniciou um novo projeto de lei sobre a criminalização da negação do genocídio armênio na França. 

ValérieO projeto de lei, de 19 de dezembro de 2012, estabelece para a introdução de alterações à lei de 1881 sobre a liberdade de imprensa, estabelecendo bases legais para combater o racismo e a negação do genocídio, segundo informou o Panarmenian.Net, citando o site Nouvelles d’Arménie. 

Em seu perfil pessoal no Facebook, Aram Suren Hamparian – o presidente da ANCA – também escreveu que a campanha da deputada foi relançada.

A deputada Valérie Boyer é a redatora do texto de 22 dezembro de 2011, que visa penalizar a negação de todos os genocídios reconhecidos pela França, incluindo o dos armênios.

Em 23 de janeiro deste ano, o Senado francês aprovou o projeto de lei que criminaliza o genocídio armênio e previa impor uma multa de 45 mil euros e um ano de detenção para qualquer pessoa na França que negasse este crime contra a humanidade cometido pelo Império Otomano e ainda negado pela República da Turquia. 

Porém, mais tarde, o Conselho Constitucional francês decidiu que um projeto de lei aprovado pelo Senado tornando crime negar o genocídio armênio era um ato anticonstitucional e foi barrado.

A derrota foi uma “ducha de água fria” nos armênios da França, bem com no então presidente Sarkozy, acusado de usar a lei em benefício próprio para conseguir votos da comunidade armênia local para se reeleger, o que não aconteceu.

François Hollande venceu nas urnas e a comunidade franco-armênia logo pensou que o apoio presidencial havia se esvaído com a derrota de Sarkozy. Entretanto, em julho (um mês antes de tomar posse como presidente) Hollande confirmou os planos para uma nova lei que criminaliza a negação do genocídio armênio com representantes da comunidade armênia.
 

Ataque Hacker:

Na manhã de natal de 2011, o site da deputada francesa foi hackeado por supostos nacionalistas turcos (leia a notícia, clique aqui).

Ao acessar o site, a abertura da página principal era exibida normalmente por 2 segundos e então, na sequência, uma imagem preta e a bandeira da Turquia, com frases dirigidas aos armênios da diáspora em turco e em inglês. 

Mais retaliações:

Segundo o site NationalTurk, a imagem de Valerie Boyer estampará preservativos que um empresário turco residente na França pretende introduzir no mercado.

No Brasil: 

Em um infeliz artigo no dia 30 de janeiro de 2012 no maior jornal em circulação no país, a Folha de São Paulo, o ex-ministro e professor Luiz Carlos Bresser-Pereira, lança uma questionável reprovação ao fato da França reconhecer o genocídio armênio  (leia mais). 

Leia também o artigo do professor Onnig: Um alerta ao professor Bresser-Pereira.

Armen Kevork Pamboukdjian Jornalista de formação, é editor-chefe do site Estação Armênia.

Deixe um comentário