EditorialTudo

Editorial: Novos tempos na vida comunitária

O fiasco do Ato Solene realizado em 28 de abril de 2014 na Assembleia Legislativa de São Paulo em rememoração ao genocídio de 1915, levou a uma movimentação de jovens, adultos e lideranças da comunidade que manifestaram pelas redes sociais sua indignação com a falta de preocupação com a aproximação do centenário do Genocídio Armênio.

A situação tornou-se ainda mais preocupante quando semanas depois, um e-mail apócrifo enviado para a comunidade defendia a forma pouco protocolar e desrespeitosa como o ato foi organizado e tecia comentários extremamente comprometedores e inconvenientes e de cunho político.

O escritório do CNA no Brasil, entidade de escala mundial com 88 escritórios em diversos países e que se dedica exclusivamente a defender os interesses armênios e à luta pelo reconhecimento do genocídio, manifestou sua indignação e o Comite TRO da Federação Revolucionária Armênia – Tashnagstutiun se uniu a esse reclamo para que o quadro testemunhado em abril passado não se repita nunca mais.

Acolhidos em reunião pelo Corpo Religioso, Presidência do Conselho Representativo, Presidências das Diretorias Executivas de Osasco e São Paulo da Igreja Apostólica Armênia do Brasil, o CNA-Brasil e o Tashnagstutiun expuseram a preocupante situação.

A fim de evitar que esses problemas se repitam, as entidades acima, irmanadas e sabedoras de suas responsabilidades com a comunidade, decidiram emitir um comunicado conjunto (leia na imagem abaixo) que aponta para novos tempos de união e luta conjunta.

Unidos somos mais fortes.

Leia abaixo.

email apocrifo retrata

Matérias Relacionadas
CulturaTudo

Você conhece o carnaval armênio?

(Em 2024 o Paregentan é comemorado no dia 11 de fevereiro.) O Paregentan (ou Barekendan) é uma…
Leia mais
Eventos

Entrelaçando Linhas e Memórias: Bordadeiras Armênias em São Paulo

Lançamento de “Entrelaçando Linhas e Memórias: Bordadeiras Armênias em São Paulo&#8221…
Leia mais
Artsakh

Ataques azeris, a rendição do exército e o futuro de Artsakh

Fontes : Hetq, Asbarez, Diario Armênia, Panarmenian Na última…
Leia mais

Deixe um comentário