CampanhasGenocídio ArmênioTudo

Condoleezza Rice orgulha-se de ter barrado duas votações do Genocídio Armênio enquanto era secretária de Estado

Texto parcialmente traduzido de Harut Sassounian

Rice, Armenian Genocide

Em seu recém-publicado livro de 750 páginas, “Memórias de meus anos em Washington: Não há honra maior” (“A Memoir of My Years in Washington: No Higher Honor”), a ex-secretária de Estado, Condoleezza Rice, descreve com orgulho seus esforços para derrotar resoluções do Genocídio Armênio em duas ocasiões distintas. Com grande prazer, ela se gaba de seu sucesso em minar o reconhecimento do Genocídio Armênio pelo Congresso dos EUA em 1991 e 2007.

Um exame minucioso dos argumentos de Rice expõe seu julgamento falho e lapsos éticos. Em suas memórias, ela relata que sua primeira experiência “com este problema” foi em 1991, quando ela trabalhava na Casa Branca como assistente especial do Pres. George H. W. Bush. Sua tarefa era “para mobilizar um esforço para derrotar a resolução na Câmara dos Deputados.” Ela se retrata como lutando contra “o poderoso lobby armênio americano” que “tem há anos pressionado o Congresso a aprovar uma resolução de assassinatos em massa do Império Otomano de armênios, a partir de 1915, como genocídio.” Na realidade, ela não tinha necessidade de contrariar o que já havia sido reconhecido pela Câmara dos Representantes em 1975 e 1984, e pelo Pres. Ronald Reagan em 1981.

Rice prossegue dizendo que “há muitas interpretações históricas do que aconteceu”, que é totalmente falso, como não existem disputas históricas sobre o Genocídio Armênio – um fato universalmente reconhecido. Além disso, a Prof. Rice parece não perceber que quando ela descreve as “mortes” armênias como “claramente um massacre, brutal por motivos étnicos”, ela está de fato reconhecendo-as como genocídio, conforme definido nos termos do artigo 2 da Convenção sobre Genocídio da ONU.

Em suas memórias Rice tenta justificar suas manobras obstrucionistas, explicando que os turcos “ficaram indignados com a possibilidade de serem marcados por um evento que aconteceu há quase um século antes – Sob o domínio otomano”. Em vez de comportar-se como funcionária de uma república de bananas, Rice deveria ter advertido severamente os turcos que os Estados Unidos não iriam distorcer fatos históricos para apaziguar os líderes paranóicos de um Estado autocrático!

Gabando-se o quão bem ela “tinha tido sucesso” em sua “missão”, Rice insensivelmente descreve seus esforços terríveis em “lutar contra a resolução do temido Genocídio Armênio”. Ela faz uma tentativa de minimizar sua transgressão ética, afirmando que ninguém nega “os terríveis acontecimentos ou a morte trágica de centenas de milhares de armênios inocentes”, que até mesmo funcionários turcos reconhecem. Se ela estava consciente de que ninguém estava negando o assassinato em massa de armênios, por que estava tão fervorosamente determinada a acabar com a resolução? Ela então alega a propaganda absurda turca de que esta questão deve ser deixada para “historiadores e não políticos. Eles que decidam a melhor forma de rotular o que tinha acontecido”. Rice deve ter sabido que os historiadores respeitáveis de todo o mundo já declararam que as mortes constituam Genocídio Armênio.

Como Secretária de Estado em 2007, Rice, mais uma vez lutou contra a adoção de uma resolução do Genocídio Armênio. Ela relata que ela “pediu” a porta-voz da Casa Nancy Pelosi para evitar que a Casa de votasse sobre a resolução, mas o presidente rejeitou seu pedido.

Sobre o autor

Artigos

Co-criador do Portal Estação Armênia. Engenheiro Mecânico e de automação, Descobri a ascendência armênia tardiamente e tenho me dedicado à criar conteúdo online para a comunidade desde então. Atualmente morando em Toronto.
Matérias Relacionadas
Artsakh

Ministro das Relações Exteriores da Armênia denuncia Azerbaijão em Moscou

Fontes : Mirror Spectator O novo ministro das Relações Exteriores da…
Leia mais
Da Redação

OTSC decide não agir em invasão do território armênio

O agravamento da situação no sul da Armênia em conexão com o estabelecimento de uma nova…
Leia mais
Genocídio Armênio

Presidente americano reconhece massacre de armênios como Genocídio

O atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, emitiu neste sábado, 24 de Abril, um comunicado…
Leia mais

3 Comentários

Deixe um comentário