Empresa armênia cria robô para fazer companhia para crianças internadas em hospital

0
0
Fontes :
Forbes

Crianças gostam de robôs e crianças doentes podem se beneficiar de robôs em um hospital. Um companheiro robô chamado Robin foi testado em uma clínica pediátrica na Armênia e os pesquisadores relatam um aumento no apetite e na alegria dos pacientes jovens após interações com o robô. Robin deve confortar crianças em uma clínica odontológica nos EUA a partir de julho.

“Nosso objetivo é mudar a percepção infantil dos tratamentos médicos, onde eles não se sentirão mais isolados, solitários e assustados”, diz Karen Khachikyan, CEO e fundadora da Expper Technologies.

Robin tem 1,20m de altura e é feito de bioplástico reciclável que pode ser facilmente esterilizado com luz ultravioleta ou outros desinfetantes para minimizar o risco de propagação de vírus (incluindo o Covid-19).

“É o primeiro do tipo que usa a interação entre pares para ajudar as crianças a superar o estresse e a ansiedade”, diz a CEO. “Robin utiliza nossa tecnologia de patente pendente baseada em Inteligência Artificial para criar interações emocionais entre pares com crianças. “A tecnologia analisa expressões faciais e o contexto das conversas. Ele se move com um sistema de roda omnidirecional e usa sua “face” para mostrar emoção com uma variedade de expressões. Isso tudo significa que o robô pode reagir naturalmente a situações e interações com crianças, afirma a criadora.

Quanto ao fator “fazer as crianças se sentirem melhor”, a Expper diz que um estudo piloto de dois meses envolvendo mais de 100 crianças da Clínica Wigmore, Hospital Nork Marash e Clínica Avanta (todas na Armênia), coletou dados comportamentais, observacionais e de procedimentos, junto com informações sobre os níveis de estresse e dor em pacientes jovens.

Um questionário de auto avaliação foi usado para medir as emoções das crianças e, segundo os resultados, mostrou um aumento na “alegria” em mais de 26%, bem como uma redução de 34% no estresse.

“Crianças que permanecem em hospitais e precisam de tratamento prolongado e às vezes doloroso geralmente têm falta de apetite; alguns tendem a ser silenciosos e apáticos”, diz Khachikyan.

“No entanto, todas as crianças que já interagiram com Robin demonstraram interesse em encontrá-lo novamente. Houve casos de melhora do apetite e aumento da alegria após interações com Robin.”

Os médicos também disseram que Robin conseguiu envolver as crianças em um ambiente cooperativo e torná-las mais comunicativas, permitindo que a equipe do hospital e da clínica realizasse suas tarefas com mais facilidade e com menos frustração.

O que esse robô está dizendo para as crianças?

Khachikyan diz que a tecnologia permite que Robin se comporte como um colega. Ele pode jogar jogos interativos, contar histórias engraçadas e piadas e explicar procedimentos médicos complicados (e assustadores) de maneiras simples.

“Durante a estadia no hospital infantil, Robin visita continuamente as crianças e as ajuda a se sentirem menos isoladas e solitárias e, ao fazer isso, aumenta os resultados de recuperação”, diz o CEO, acrescentando: “Robin é um tipo de amigo adorável que está sempre lá para apoiar e ajudar durante os tempos difíceis. ”

A equipe por trás do Robin the Robot foi fundada em 2017. Eles começaram a desenvolver o Robin no início de 2018. Eles levantaram US$ 200.000 em financiamento inicial da SmartGateVC, HIVE Ventures e investidores anjos para conduzir os pilotos e o desenvolvimento da tecnologia. A Expper planeja começar a angariar mais fundos em breve “para avançar na tecnologia de inteligência emocional e para as implantações na Califórnia”, diz Khachikyan.

 

Robin vai expandir para os EUA no dia 1º de julho.

Robin estará presente no ABC Kids Dental Group em Los Angeles, Califórnia, seguido pelo Hospital Infantil UCLA Mattel, diz a Expper.

“O tratamento odontológico frequentemente envolve tratamento invasivo, várias injeções e o uso de instrumentos de corte afiados de alta velocidade, muitas vezes estendidos por várias visitas”, explica Khachikyan.

“As crianças geralmente experienciam medo, ansiedade e estresse, o que pode afetar a qualidade do tratamento e causar experiências traumáticas, impedindo visitas posteriores. Considerando isso, é importante que o tratamento odontológico também se concentre nos aspectos psicológicos da visita de uma criança, evitando assim experiências dolorosas e traumáticas.”

A Expper tem como objetivo implantar Robin nos principais hospitais e clínicas odontológicas da Califórnia este ano, permitindo que os locais utilizem Robin por uma taxa de assinatura mensal. A empresa espera alugar até 10 robôs por hospital (há mais de um Robin). Khachikyan diz que o valor exato ainda não foi definido.

A Expper fazia parte do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (UNDP) ImpactAim Venture Accelerator e continua seu trabalho na Armênia, ajudando crianças com câncer a se submeterem a tratamentos.

“Em parceria com o UNDP, planejamos implantar Robin em hospitais públicos na Armênia”, diz Khachikyan. “Essa colaboração pode impactar milhares de crianças anualmente, trazendo conforto e alegria para elas durante o difícil processo de hospitalização. Estamos planejando lançar o projeto dentro de alguns meses.”

Deixe um comentário