Home Eventos Excursão Centenário da 1ª Independência da Armênia
0

Excursão Centenário da 1ª Independência da Armênia

0

Em maio de 2018 a Armênia comemora o centenário de sua primeira independência, proclamada em 28 de maio de 1918. Foi a primeira vez que uma nação milenar, que teve diversos reinos e fronteiras, depois de séculos de dominação estrangeira (persas, bizantinos e otomanos), que os armênios reconstruíram um estado nacional. 

E para comemorar, a Associação Beneficente de Damas Armênias do Brasil (SP e Osasco), o Hamazkayin, Clube Armênio, CNA-Brasil e Tashnagtsutiun estão realizando uma excursão para a Armênia a fim de participar das comemorações oficiais que serão realizadas no país.

A excursão consiste em 14 dias na Armênia, com saída em 22 e maio e retorno em 05 de junho de 2018, com translados, passeios e eventos inclusos no valor. As informações da parte aérea ficam à cargo da Sidon Turismo (Qatar/Emirates), pelo telefone: 11 2081-1029, ou com Suely Miksian (Air France) pelo telefone: 11 99184-6384.

Informações sobre passeios e hotéis com a SAMA – Clube Armênio, pelo telefone: 11 5579-6035.

Veja o vídeo abaixo:

28 passos para a vitória e para relembrar o 28 de maio de 1918, dia da primeira Independência Armênia

1 – Uma nação milenar, que teve diversos reinos e fronteiras, depois de séculos de dominação estrangeira (persas, bizantinos e otomanos) foi a primeira vez que os armênios reconstruíram um estado nacional.

2 – Esse estado nacional nasceu depois de um genocídio (1915) que ceifou a vida de um milhão e quinhentos mil armênios.

3 – O país nasceu com um enorme contingente de órfãos e sobreviventes do Genocídio Armênio.

4 – Nos primeiros meses de 1918 os armênios foram traídos por conchavos internacionais que resultaram no Tratado de Brest-Litovsk, que permitiu o avanço de tropas turcas para as regiões historicamente armênias de Kars, Ardahan, Erzurum e Batum.

5 – Nas primeiras semanas de maio de 1918 as tropas turcas continuaram avançando, comandadas pelo General Kazim Karabekir, que preparava a estratégia para tomar Etchmiadzin (centro espiritual) e na sequência Yerevan (capital).

6 – A resistência armênia não conseguiu deter o avanço das tropas turcas. Um destacamento de 600 armênios foi derrotado no dia 19 de maio na batalha de Karzakh abrindo caminho para as tropas turcas tomarem a estação de trem de Aragts e entrarem pela planície de Sardarabad.

 

7 – No dia 21 de maio as tropas turcas já tinha posições avançadas em Yeghegnut, hoje vila armênia, bem na fronteira com a Turquia.

8 – Os combates eram desproporcionais e em 04 dias os turcos tiraram a vida de muitos soldados armênios. A derrota era iminente.

9 – No dia 22 de maio o General Movses Silikyan convocou o 5o Regimento do Exército Armênio, recém formado, para uma ofensiva (começava a se construir a vitória).

10 – Em poucas horas de combate um grande destacamento turco recuou 20 Km e as lutas começaram pela posse das margens do Rio Araks.

11 – Na manhã do dia 23 de maio um gigantesco reforço de tropas turcas chega a região.

12 – Temendo o pior, as lideranças armênias resolvem recorrer a um esforço colossal e envolver toda a população no conflito.

13 – O Catholicos Gevorg V ordenou que os sinos das igrejas de toda a Armênia tocassem para convocar toda a população.

14 – Homens, mulheres, idosos, crianças, religiosos, camponeses, enfim todos foram convocados para ajudar.

15 – As batalhas ficavam cada vez mais sangrentas e no dia 24 de maio depois de mais derrotas armênias, Silikyan, Pirumyan, Pashayan, Dro, Nazarbekian e demais comandantes da linha de frente, decidem lançar uma ofensiva fulminante.

16 – Na madrugada do dia 25 de maio, os turcos atacam violentamente Bash Abaran e são rechaçados.

17 – Na manhã do dia 25 de maio um destacamento armênio de 1.000 soldados retoma posições em Karakilisse (Armavir) expulsando mais de 4.000 soldados turcos.

18 – A ofensiva em Sardarabad na madrugada de 26 de maio foi impressionante. As tropas turcas tiveram pesadas perdas e, em telegrama para Istambul, o General Kazim Karabekir recomenda abertura de negociações com os armênios já que mais de 4.000 soldados turcos tinham sido mortos em menos de 3 dias.

19 – A notícia dos avanços em Sardarabad encoraja os dirigentes políticos armênios que tinham representação em Tiflis na Geórgia a se declarar autoridade competente na região.

20 – A notícia da vitória sensibilizou representações diplomáticas estrangeiras em Tiflis, especialmente dos EUA e da França, a intermediar acordos para o cessar-fogo e reconhecer a autoridade armênia.

21 – A Géorgia declara independência dia 26 de maio. Em 27 de maio surge o Azerbaijão, criado para agregar os turcos no Cáucaso.

22 – Na manhã do dia 27 de maio, o Conselho Nacional Armênio em Tiflis, uma das forças políticas do país que estava nascendo, despacha Hovhannes Kachaznuni e Alexander Khatisyan em um trem fortemente protegido por voluntários armênios para Yerevan, a fim de dar posse oficial ao governo que estava sendo organizado por Aram Manukian.

23 – No dia 28 de maio de 1918 é declarada a República da Armênia.

24 – Passado um determinado período, no dia 4 de junho a República ganha garantias com a assinatura do Tratado de Batumi que deu status legal ao governo da Armênia.

25 – O país nasceu repleto de problemas e mesmo assim em sua pouca duração foram possíveis avanços na área de educação, transportes e energia.

26 – Foi o 28 de maio de 1918 que garantiu que a Armênia fosse uma das repúblicas soviéticas e não uma simples província.

27 – Foram os símbolos de 28 de maio de 1918 , o Mer Hayrenik (hino nacional) e a bandeira tricolor que voltaram com a independência de 1991 quando do fim da URSS.

28 – O “Mayis 28” (28 de Maio)  veio do seio do povo armênio, da gente que lutou pela Armênia. Ele é a expressão mais límpida da liberdade. Página heroica que não pode ser esquecida jamais. Contem para seus filhos que um país destruído por um genocídio venceu um dos maiores Impérios do mundo e retomou a liberdade tão desejada. E não esqueça de dizer a eles que isso foi feito por nós, armênios.

tags:
Armen Kevork Pamboukdjian Editor-chefe e redator do site Estação Armênia. Nascido na capital paulista, é formado em Jornalismo pela Universidade Nove de Julho, em skate pela faculdade das ruas e em causa armênia pela escola da luta e resistência.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *