Home Da Redação UE afirma que lista de Erdogan com 3000 nomes a serem presos estava preparada antes do golpe

UE afirma que lista de Erdogan com 3000 nomes a serem presos estava preparada antes do golpe

Após a “tentativa” de golpe na Turquia, na última sexta-feira (15), ter fracassado, o presidente turco Erdogan começou uma caça às bruxas atrás dos culpados.

Enquanto isso, um dos comissários da União Européia, Johannes Hahn, lançou dúvidas a respeito da velocidade com que as prisões foram efetuadas, alegando que Erdogan já possuía a lista de 3.000 nomes a serem presos antes mesmo de a tentativa de golpe ter começado.

A reportagem do DailyMail mostra como os supostos oficiais que estariam envolvidos na tentativa de golpe estão sendo tratados pelo governo democrático turco, muitos, aparecem em frente às câmeras bastante machucados e são humilhados.


Via DailyMail

Tradução: Maria Carolina Chaves Indjaian


“Traidores na parada”: mentores do exército por trás do golpe na Turquia aparecem na TV com as mãos amarradas – enquanto a UE afirma que a lista de Erdogan com 3.000 nomes a serem presos estava preparada ANTES da revolta.

  • Militares mentores do golpe que falhou na Turquia desfilam sob as câmeras
  • comissário da UE Johannes Hahn lançou dúvidas sobre a velocidade das prisões
  • Indicando que a Turquia já tinha a lista de nomes dos conspiradores antes do golpe ter sequer começado
  • Quase 6.000 juízes e oficiais militares foram detidos desde o golpe
  • Entre eles está o comandante de uma base aérea usada pelos militares americanos
  • Quase 9.000 trabalhadores ligados ao Ministério do Interior foram demitidos

Autoridades militares acusados de planejar o fracassado golpe na Turquia desfilaram sob as câmeras com as suas mãos amarradas e foram ordenados a darem seus nomes e postos antes de serem levados para serem interrogados.

A filmagem teria sido filmada em uma estação de polícia em Ancara onde os homens estão sendo mantidos sob custódia antes de aparecer no tribunal mais tarde hoje.

O lançamento do vídeo vem depois de um funcionário da UE sugerir que o ligeiro levantamento de quase 3.000 juízes e oficiais militares após o golpe fracassado na Turquia sugere que o governo tinha uma lista de nomes preparadas de antemão.

36624AAD00000578-3695232-The_full_group_totalling_27_men_then_were_forced_to_stand_on_a_s-a-27_1468848498300
O grupo completo, totalizando 27 homens, em seguida, foram obrigados a ficar em uma escadaria com as mãos amarradas enquanto eles foram exibidos para as câmeras.
36614AD900000578-3695232-image-a-14_1468832372154
Cinco suspeitos do golpe que ficaram diante da câmera em uma estação de polícia em Ancara depois de serem presos.
36614AED00000578-3695232-image-a-17_1468832888031
A filmagem teria sido feita em uma estação de polícia em Ancara onde os homens estão sendo mantidos sob custódia antes de aparecer mais tarde hoje no tribunal.
36614ADD00000578-3695232-image-a-18_1468832892052
Depois de serem condenados a dar seus nomes e postos, em uma tentativa de humilhá-los, os homens foram, então, ordenados a sairem do quarto.

VÍDEO: Idealizadores do golpe aparecem machucados, enquanto estão sendo registrado pela polícia

Fotos da metragem da filmagem mostra diversos generais do alto ranking sendo levados para uma sala com as mãos amarradas atrás das costas e um com um curativo sobre sua orelha.

Enquanto eles estão lá, um homem grita: “Você está feliz por ter falhado?”, antes que todos estejam condenados a darem os seus nomes e as patentes em uma tentativa de envergonhá-los.

E depois de terem terminado, eles são, então, ordenados a saírem da sala por um homem gritando “saiam” antes de outro grupo ser trazido e esperar fazer o mesmo.

Enquanto isso mais tarde, imagens mostraram os homens todos de pé em uma escadaria enquanto eles se preparavam para ficar em frente às câmeras.

Entre eles está Akin Ozturk, chefe da força aérea até 2015 e membro do Conselho Superior Militar (YAS) , que foi fotografado olhando despenteado vestindo uma camisa pólo listrada.

Ozturk espera ser retirado neste  mês de agosto durante uma reunião do YAS, que se reúne duas vezes por ano. De acordo com sua biografia, ainda no site do militar, ele nasceu em 1952.

VÍDEO: Serviço de Inteligência de Erdogan mostra líderes militares do golpe humilhados

36624A6100000578-3695232-Among_those_arrested_is_Akin_Ozturk_pictured_head_of_the_air_for-a-29_1468848546389
Entre os presos está Akin Ozturk, na foto, chefe da força aérea até 2015 e membro do Alto Conselho Militar alta (YAS) , que foi fotografado olhando despenteado vestindo uma camisa pólo listrada.
Os detidos, incluindo Ozturk, foram reunidos e tinham as mãos amarradas pela polícia com braçadeiras.
Os detidos, incluindo Ozturk, foram reunidos e tinham as mãos amarradas pela polícia com braçadeiras.
36624A4800000578-3695232-image-a-33_1468848607886
Assim como aparece despenteado, Ozturk também foi retratado com cortes no rosto e um curativo no ouvido.
Screen Shot 2016-07-20 at 22.46.54
Ozturk , retratado em seu uniforme militar, será retirado neste mês de agosto em uma reunião do YAS, que se reúne duas vezes por ano.

Esta tarde, duas emissoras privadas contradisseram um relatório da mídia estatal que disse Ozturk não tinha confessado a participar no fracassado golpe militar.

A Agência estatal turca, Anadolu, disse anteriormente que Ozturk havia confessado ter ajudado a planejar o golpe. No entanto, Haberturk e NTV citaram o que eles disseram foi seu depoimento ao Ministério Público, relatando que ele negou a desempenhar um papel.

“Eu não sou alguém que planejou ou dirigiu a tentativa de golpe que foi realizada em 15 de julho e eu não sei quem fez”, NTV citou-o dizendo em seu depoimento.

Foi pensado que o segundo idealizador fosse Muharrem Kose, um ex-assessor jurídico da chefia do grupo militar, os três oficiais de Ancara disseram.

Eles descreveram Kose como um seguidor de Fethullah Gulen, um clérigo com sede nos EUA cuja rede de Erdogan culpou pela a realização da tentativa de golpe.

Outro comandante detido era o general Bekir Ercan Van, o líder da base aérea Incerlik, usado pela coalizão liderada pelos Estados Unidos para lançar ataques sob o ISIS no Iraque e na Síria.

No entanto, o Pentágono confirmou no domingo que o espaço aéreo tinha sido reaberto e operações contra o grupo terrorista continuam.

36613C9200000578-3695232-image-a-22_1468832926464
Os supostos membros do golpe foram levados para uma delegacia de polícia em um ônibus especial e entraram no prédio.

Enquanto isso, a agência de notícias estatal da Turquia diz que o Ministério do Interior demitiu cerca de 9.000 funcionários em todo o país, após tentativa de golpe frustrada de sexta-feira.

Agência Anadolu disse que um total de 8.777 funcionários ligados ao ministério foram demitidos, incluindo 30 governadores, 52 inspetores do serviço civil e 16 consultores jurídicos.

Outros relatos da mídia dizem que oficiais da polícia, polícia militar e guardas costeiras também foram removidos do dever.

Após a fracassada tentativa de golpe no sábado, autoridades turcas prenderam aqueles suspeitos de tentarem derrubar o governo que vão desde os principais comandantes militares até soldados, juízes e procuradores.

No entanto, Johannes Hahn, comissário da UE que lida com o pedido de adesão da Turquia, lançou dúvidas sobre a velocidade com que as prisões foram feitas.

 

366076D300000578-0-image-m-2_1468826703020
Um número de membros do golpe turco em Marmaris são levados para uma casa da corte em Mugla após o golpe no sábado.
366077B300000578-0-image-m-6_1468826943232
A rápida prisão de quase 3.000 juízes e oficiais militares antes do golpe fracassado na Turquia sugere que o governo tinha uma lista de nomes preparada de antemão, disse o comissário da UE Johannes Hahn.
3660776D00000578-0-image-a-7_1468826955761
Na localidade costeira de Marmaris, soldados que tentaram atacar Erdogan em um hotel na cidade apareceram no tribunal.
366077AB00000578-0-image-m-8_1468826965566
Forças de segurança turcas foram lançando ataques recentes em uma repressão implacável contra os suspeitos golpistas.

Ele explicou: “Parece, pelo menos, como se algo tivesse sido preparado. As listas estão disponíveis, o que indica que foi preparada para ser utilizada num certo estágio”

“Estou muito preocupado. É exatamente o que eu temia.”

O Ministro das Relações Exteriores da Turquia descreveu as observações como “inaceitáveis”, hoje.

Em sua conta no Twitter, Mevlut Cavusoglu também disse que a Turquia nunca iria dar um passo atrás de suas conquistas democráticas civis e de Estado de direito.

Cavusoglu adicionou em Inglês: “Parece que (Hahn) está longe de ser compreender completamente o que está acontecendo na Turquia. Nossa expectativa primária da UE e nossos aliados é que apoiem o processo democrático na Turquia e condenem fortemente a tentativa de golpe”.

As reivindicações de Hahn vieram depois de um clérigo turco com sede nos EUA acusado de conspirar para o golpe para derrubar o governo de Ancara dizr que o presidente Erdogan teria encenado a próprio rebelião para justificar uma grande repressão sobre as forças de oposição.

Fethullah Gulen, que era um ex-aliado-chave de Erdogan tem sido responsabilizado pelo político de usar seus contatos para desenvolver uma “estrutura paralela” para derrubar o Estado.

Hoje forças de segurança turcas estão lançando ataques em uma repressão implacável contra os golpistas suspeitos.

O incidente deixou mais de 290 mortos enquanto o presidente Erdogan debate reintroduzir a pena de morte para puni-los.

Erdogan enfrentou o golpe na sexta-feira por elementos nas forças armadas descontentes com o seu governo de 13 anos

366076DF00000578-0-image-m-10_1468826988110
Os manifestantes apareceram no tribunal em Mugla para demonstrar e gritar abuso dos supostos membros do golpe.
3660777B00000578-0-image-m-12_1468827021213
Uma mulher segura, assina e grita enquanto os supostos membros do golpe são levados para o tribunal perto de Marmaris.

Mas aliados da Turquia têm a advertido contra retaliação excessivo enquanto as autoridades prendem os autores.

O Ministro da Justiça disse que cerca de 6.000 pessoas foram detidas até agora na investigação sobre o golpe de sexta-feira que Erdogan culpa seu arqui-inimigo, Gulen.

Enquanto isso, na estância costeira de Marmaris, soldados que tentaram atacar Erdogan em um hotel na cidade apareceram no tribunal.

Eles tiveram suas mãos amarradas atrás das costas e foram forçados a baixar as suas cabeças enquanto eles foram escoltados para o tribunal em Mugla.

Isso vem depois que foi revelado que na altura do golpe, os pilotos rebeldes de dois aviões de combate F-16 aviões tinham Erdogan na sua mira.

366076CB00000578-0-image-m-14_1468827046133
O Ministro da Justiça disse que cerca de 6.000 pessoas foram detidas até agora na investigação sobre o golpe de sexta-feira que Erdogan culpa seu arqui-inimigo, Gulen.

O líder turco estava voltando para Istambul de férias em Marmaris, depois de uma facção de militares lançarem a tentativa de golpe na sexta-feira à noite, fechando uma ponte sobre o Bósforo, tentando capturar o principal aeroporto de Istambul e enviar tanques para o parlamento em Ancara.

Um oficial turco sênior confirmou que o jato executivo de Erdogan tinha sido assediado durante o vôo do aeroporto que serve Marmaris por dois caças F-16 requisitados pelos golpistas, mas que ele tinha conseguido chegar a Istambul com segurança.

Um segundo alto funcionário também disse que o jato presidencial tinha tido “apuros no ar”, mas não deu detalhes.

Erdogan disse que enquanto o golpe se desenrolava os conspiradores tinham tentado atacá-lo na cidade turística de Marmaris e bombardearam lugares que ele tinha estado e logo após ele ter saído. Ele “evitou a morte por minutos”, disse o segundo oficial.

 

Maria Carolina Chaves Indjaian Colaboradora. Carioca da gema que viveu em Curitiba desde criança e agora é cidadã do mundo. É advogada, aficcionada por Direitos Humanos e defensora de minorias. O coração e o sangue sempre falam mais alto no que diz respeito à Armênia.

Deixe um comentário