Home Da Redação Seminário em Buenos Aires discute a identidade armênia no século XXI

Seminário em Buenos Aires discute a identidade armênia no século XXI

0
0

 

10576311_10203815193315582_1284165970_o

Diante das grandes e rápidas transformações do século XXI, a identidade étnico cultural é uma das preocupações latentes em um mundo globalizado.

A Associação Cultural Armênia de Buenos Aires está promovendo o seminário “A identidade armênia na América do Sul no século XXI” voltado para capacitação de dirigentes. O evento será realizado na sede da associação em Palermo no próximo sábado e domingo, dias 16 e 17 com a participação de professores, ativistas e convidados especiais.

Captura de Tela 2014-08-12 às 14.22.18O Brasil estará representado pelo advogado Dr. Everton Simon Zadikian, representando a O.A.B, e pelo Professor James Onnig Tamdjian, Presidente do Conselho Nacional Armênio-representação Brasil, órgão que luta pelo reconhecimento do genocídio armênio. Eles vão compor a mesa sobre a participação na vida política da América do Sul, junto com Pedro Mouratian, Presidente do INADI , Instituto contra a discriminação, xenofobia e racismo do governo da Argentina.

10613916_10203815189475486_1969138804_nMuitas outras atividades compõe o encontro que vai receber também o educador armênio, Mher Karakashian (foto a direita), diretor do colégio Sourp Hagop de Montreal, uma das instituições de ensino mais conceituadas da diáspora que vai falar sobre a experiência educativa dos últimos anos. 

Dentre os inúmeros convidados estarão presentes: o Embaixador da Armênia na Argentina, Vahakn Melikian, o Presidente do Comitê Central do Tashnagtsutiun na América do Sul, enger Khatchik Der Ghougassian, Miguel Haroutunian da Camara de Comercio Argentina Armenia, Ara Mkhitarian da Igreja Evangelica Armenia da Argentina,

Juan Karaguezian, Razmig Nalpatian, Talin Leylek e Beatriz Arslanian  vão falar sobre o trabalho comunitário na Argentina.

As educadoras , Sandra Raubian, Julieta Puppo e Graciela Aynajian vão falar sobre as experiências dos colégios armênios, Jrimian de Buenos Aires, Sahag Mesrob de Cordoba e Colégio Nersesian de Montevideo. 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *