Home Da Redação Gravação de plano de ataques à Síria vaza e Youtube é bloqueado na Turquia
0

Gravação de plano de ataques à Síria vaza e Youtube é bloqueado na Turquia

0

O governo turco rapidamente baniu o YouTube nesta quinta-feira (27) horas após uma suposta gravação vazar com as vozes do ministro das Relações Exteriores da Turquia, o chefe de inteligência e um general do exército superior discutindo a possível intervenção na Síria, segundo o jornal Zaman.

Uma conta do YouTube apresentava a gravação como de chefe de inteligência Hakan Fidan discutindo com o chanceler Ahmet Davutoglu, o Vice-Chefe do Estado-Maior Yasar Guler e Ministro da Subsecretaria das Relações Exteriores, Feridun Sinirlioglu uma eventual operação para proteger o túmulo de Suleyman Shah, avô do fundador do Império Otomano, em uma área do norte da Síria, em grande parte controlada por militantes islâmicos.

Ancara diz que o túmulo é território turco soberano sob um tratado assinado com a França em 1921, quando a Síria estava sob o domínio francês. Cerca de duas dezenas de soldados das forças especiais turcas guardam-no permanentemente.

A Turquia ameaçou há duas semanas retaliar qualquer ataque ao túmulo, após confrontos com militantes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL), um grupo separatista da Al Qaeda, a leste de Aleppo.

“Uma operação contra ISIL tem legitimidade internacional. Vamos defini-lo como da Al Qaeda. Não há questões sobre o quadro Al Qaeda. Quando se trata do túmulo Suleyman Shah, é sobre a proteção do solo nacional”, diz uma voz apresentada como a de subsecretário do Ministério do Exterior Feridun Sinirlioglu.

Quando a discussão se volta para a necessidade de justificar a tal operação, a voz supostamente de Fidan diz: “A justificativa pode ser criada. A questão é criar a vontade.”

Em uma declaração por escrito o Ministro do Exterior turco não negou toda a conversa, mas disse que partes da gravação havia sido manipuladas.

Em seu primeiro comentário sobre a gravação de áudio divulgada, o primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan chamou o vazamento de um ataque miserável à segurança nacional e uma traição contra o país. Confirmando a autenticidade da gravação que vazou, Erdoğan prometeu medidas contra aqueles que foram responsáveis pelo vazamento.
O Ministro das Relações Exteriores, Ahmet Davutoglu, disse que a gravação de voz de uma reunião de alto nível de segurança em segredo é uma declaração de guerra contra a Turquia.

A proibição nesta quinta-feira do YouTube acontece uma semana após Ancara oficialmente proibir o Twitter e cancelar a licença de radiodifusão de âmbito nacional de uma estação e emitir um número recorde de sanções para outra.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *