Home Onnig Comenta Onnig Comenta: Mil matérias e 1 bilhão de sonhos: Parabéns Portal Estação Armênia
1

Onnig Comenta: Mil matérias e 1 bilhão de sonhos: Parabéns Portal Estação Armênia

1

1000

Acordei hoje e fui impulsionado a escrever mais esse “Onnig Comenta” com a notícia de que o Portal Estação Armênia comemora 1.000 matérias editadas.

Sei que estou em dívida com os leitores, inclusive no domingo, durante a rememoração do centenário de nascimento do Maestro Vahakn Minassian, um estimado companheiro me cobrou isso.

Devo explicações breves. Assumi junto com Kevork Zadikian, Garo Hovhannesian, Robert Uhrovic e Armen Kevork, a difícil tarefa de substituir o Dr. Simão Kerimian, importantíssimo ativista e expressiva liderança comunitária, à frente do CNA-Brasil(Conselho Nacional Armênio), órgão de escala mundial voltado a defesa da Causa Armênia e do povo armênio, com filiais em todos os continentes.

Mesmo com essa incumbência de alta responsabilidade não posso deixar de lhes contar a minha breve história do Portal.

Onnig, Marcelo e Armen
Onnig ao fundo, Marcelo (esquerda) e Armen abraçados

Marcelo Mirzeian é um daqueles jovens armênios que vestiu a camisa da armenidade sem fazer qualquer pergunta ou ter qualquer atitude titubeante. Ele é decidido e tem a noção clara de que a única coisa que se ganha com isso é a alegria de saber que se está lutando por uma causa justa. Marcelo tinha a plataforma técnica por onde fazia incursões com blogs e sites divulgando a causa e a Armênia. 

Junto deles tive a grata alegria de conhecer Heitor Loureiro, historiador mineiro, dono de uma ferramentaria teórico-metodológica típica dos grandes intelectuais, que por opção e ação se transformou em referencial para todos nós nos assuntos que envolvem o Genocídio Armênio, um de seus principais temas de pesquisa. 

Armen Kevork veio com a experiência do jornalismo e da mídia digital, gestor de conteúdo que é em revistas de temática esportiva e jovem, agregados ao seu ativismo político armênio. Heitor chegou com todo o arcabouço de estudos sobre o genocídio e agregou profundidade à empreitada.

Eu, Onnig Tamdjian aderi na primeira hora, entusiasmado, somando ao grupo com a minha experiência de engajamento e militância.

E assim surgiu o Portal Estação Armênia, o mais importante referencial em língua portuguesa sobre os temas armênios, na minha opinião.

Acompanhei e vi os muitos obstáculos e trombadas, coisas naturais de um veículo de comunicação, e embates em função da linha editorial e das posições assumidas. Nesses quase 3 anos em formato de site, o Portal Estação Armênia apoiou e moveu campanhas e manifestações, discutiu opções, “brigou”, no bom sentido, por autonomia e pela gestão coletiva da informação sobre os temas armênios.

Sempre enxerguei o Portal como meio propositivo e que acredita no debate franco, sempre disposto a conversar e colaborar com aqueles que fazem algo tangível e real pela armenidade, que fazem de forma coletiva e institucional e não representem interesses pessoais.

O historiador Heitor Loureiro

Hoje o Portal é uma grata realidade. Ele já é visto por milhares de pessoas semanalmente em diversas partes do mundo, citado como fonte por sites e jornais na Armênia e em toda a diáspora, inclusive sites brasileiros. Aqueles que conhecem nossa dinâmica de trabalho sabem ou imaginam as longas e profundas discussões não presenciais e presenciais para elaboração de pauta e selecionar matérias. O Portal também mantém o site www.genocidioarmenio.com.br. Hoje, o Portal organiza, apoia e transmite eventos que vão de festivais de filmes à palestras e simpósios. A nova fase do Portal vislumbra uma edição impressa e uma Tv, que ainda estão sendo planejadas.

Por lhe conhecer há mais tempo vou me estender mais com você Armen: obrigado unguer, irmão, parceiro, figura única que honra o nome que carrega e o símbolo que é está na sua própria pele, corajoso, direto, inspiração de luta.

Para que todos entendam claramente o que quero dizer: Armen, espero que me de a honra de estar no seu jipe quando cruzarmos a Akhurian ou o Arax e de preferência com a metralhadora nas costas. Se ela não estiver nas costas, que esteja na nossas mãos, se assim o inimigo quiser. Carrego junto com você a pá, a pena de escrita ou a espada para qualquer canto do mundo, junto com a nossa bandeira.

Ter mais de 1.000 matérias editadas em língua portuguesa é uma marca para ser comemorada. É fazer algo realmente!

O Portal Estação Armênia é um divisor de águas dentro da vida comunitária e outras matérias, aos milhares, vão fortalecer a ponte entre a Armênia e o Brasil bem como divulgar e defender a nossa causa, que é a causa da humanidade e dos direitos humanos. 

***** James Onnig Tamdjian é colunista do Estação Armênia e suas opiniões não refletem necessariamente às do portal.

James Onnig Tamdjian Professor de Geografia e Geopolítica. Fleumático, colérico, sanguíneo e melancólico.

Comment(1)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *