Onnig ComentaTudo

Onnig Comenta: Mil matérias e 1 bilhão de sonhos: Parabéns Portal Estação Armênia

1000

Acordei hoje e fui impulsionado a escrever mais esse “Onnig Comenta” com a notícia de que o Portal Estação Armênia comemora 1.000 matérias editadas.

Sei que estou em dívida com os leitores, inclusive no domingo, durante a rememoração do centenário de nascimento do Maestro Vahakn Minassian, um estimado companheiro me cobrou isso.

Devo explicações breves. Assumi junto com Kevork Zadikian, Garo Hovhannesian, Robert Uhrovic e Armen Kevork, a difícil tarefa de substituir o Dr. Simão Kerimian, importantíssimo ativista e expressiva liderança comunitária, à frente do CNA-Brasil(Conselho Nacional Armênio), órgão de escala mundial voltado a defesa da Causa Armênia e do povo armênio, com filiais em todos os continentes.

Mesmo com essa incumbência de alta responsabilidade não posso deixar de lhes contar a minha breve história do Portal.

Onnig, Marcelo e Armen

Onnig ao fundo, Marcelo (esquerda) e Armen abraçados

Marcelo Mirzeian é um daqueles jovens armênios que vestiu a camisa da armenidade sem fazer qualquer pergunta ou ter qualquer atitude titubeante. Ele é decidido e tem a noção clara de que a única coisa que se ganha com isso é a alegria de saber que se está lutando por uma causa justa. Marcelo tinha a plataforma técnica por onde fazia incursões com blogs e sites divulgando a causa e a Armênia. 

Junto deles tive a grata alegria de conhecer Heitor Loureiro, historiador mineiro, dono de uma ferramentaria teórico-metodológica típica dos grandes intelectuais, que por opção e ação se transformou em referencial para todos nós nos assuntos que envolvem o Genocídio Armênio, um de seus principais temas de pesquisa. 

Armen Kevork veio com a experiência do jornalismo e da mídia digital, gestor de conteúdo que é em revistas de temática esportiva e jovem, agregados ao seu ativismo político armênio. Heitor chegou com todo o arcabouço de estudos sobre o genocídio e agregou profundidade à empreitada.

Eu, Onnig Tamdjian aderi na primeira hora, entusiasmado, somando ao grupo com a minha experiência de engajamento e militância.

E assim surgiu o Portal Estação Armênia, o mais importante referencial em língua portuguesa sobre os temas armênios, na minha opinião.

Acompanhei e vi os muitos obstáculos e trombadas, coisas naturais de um veículo de comunicação, e embates em função da linha editorial e das posições assumidas. Nesses quase 3 anos em formato de site, o Portal Estação Armênia apoiou e moveu campanhas e manifestações, discutiu opções, “brigou”, no bom sentido, por autonomia e pela gestão coletiva da informação sobre os temas armênios.

Sempre enxerguei o Portal como meio propositivo e que acredita no debate franco, sempre disposto a conversar e colaborar com aqueles que fazem algo tangível e real pela armenidade, que fazem de forma coletiva e institucional e não representem interesses pessoais.

O historiador Heitor Loureiro

Hoje o Portal é uma grata realidade. Ele já é visto por milhares de pessoas semanalmente em diversas partes do mundo, citado como fonte por sites e jornais na Armênia e em toda a diáspora, inclusive sites brasileiros. Aqueles que conhecem nossa dinâmica de trabalho sabem ou imaginam as longas e profundas discussões não presenciais e presenciais para elaboração de pauta e selecionar matérias. O Portal também mantém o site www.genocidioarmenio.com.br. Hoje, o Portal organiza, apoia e transmite eventos que vão de festivais de filmes à palestras e simpósios. A nova fase do Portal vislumbra uma edição impressa e uma Tv, que ainda estão sendo planejadas.

Por lhe conhecer há mais tempo vou me estender mais com você Armen: obrigado unguer, irmão, parceiro, figura única que honra o nome que carrega e o símbolo que é está na sua própria pele, corajoso, direto, inspiração de luta.

Para que todos entendam claramente o que quero dizer: Armen, espero que me de a honra de estar no seu jipe quando cruzarmos a Akhurian ou o Arax e de preferência com a metralhadora nas costas. Se ela não estiver nas costas, que esteja na nossas mãos, se assim o inimigo quiser. Carrego junto com você a pá, a pena de escrita ou a espada para qualquer canto do mundo, junto com a nossa bandeira.

Ter mais de 1.000 matérias editadas em língua portuguesa é uma marca para ser comemorada. É fazer algo realmente!

O Portal Estação Armênia é um divisor de águas dentro da vida comunitária e outras matérias, aos milhares, vão fortalecer a ponte entre a Armênia e o Brasil bem como divulgar e defender a nossa causa, que é a causa da humanidade e dos direitos humanos. 

***** James Onnig Tamdjian é colunista do Estação Armênia e suas opiniões não refletem necessariamente às do portal.

Sobre o autor

Artigos

Professor de Geografia e Geopolítica. Fleumático, colérico, sanguíneo e melancólico.
Matérias Relacionadas
Eventos

Novo documentário de Gary Gananian sobre Artsakh será exibido em São Paulo

Gary Gananian, um dos diretores de Rapsódia Armênia, acaba de lançar um novo documentário…
Leia mais
Da Redação

Morre Prof. Dr. Hagop Kechichian, historiador da comunidade armênia

Faleceu ontem (13) na capital paulista o Professor Doutor Hagop Kechichian, grande historiador da…
Leia mais
Genocídio Armênio

Mississippi reconhece o Genocídio Armênio

Fontes : ArmRadio O Mississippi tornou-se o 50º estado dos EUA a…
Leia mais

1 Comentário

Deixe um comentário