Home Da Redação Reconhecimento do Genocídio Armênio pelo Papa enfurece Ankara

Reconhecimento do Genocídio Armênio pelo Papa enfurece Ankara

0

Via Asbarez

pope-francis-2-300A Turquia reagiu com irritação ao Vaticano, após uma declaração do Papa Francisco descrevendo os assassinatos em massa de armênios durante a Primeira Guerra Mundial como “o primeiro genocídio do século XX”, durante uma reunião com uma delegação chefiada pelo patriarca da Cilícia dos Armênios Católicos no dia 3 de junho (leia mais, clique aqui).

“O Ministério Turco dos Negócios Estrangeiros anunciou o ponto de vista da Turquia sobre a questão e expressou desapontamento com as embaixadas em Ancara e do Vaticano, em Roma,” disse um diplomata turco ao Hürriyet Daily News no dia 7 de junho.

Asbarez informou nesta terça-feira que o papa Francisco, durante uma reunião segunda-feira com uma delegação chefiada pelo Nerses Bedros XIX, Catholicos Patriarca da Cilícia dos Armênios Católicos no Vaticano reiterou o seu reconhecimento do Genocídio Armênio.

Durante a visita, o papa se reuniu com membros da delegação, quando um deles disse que ele era descendente de vítimas do genocídio, e o pontífice respondeu: “O primeiro genocídio do século 20 foi o dos armênios”, reiterando assim seu reconhecimento do Genocídio Armênio, enquanto se dirigia a Igreja Católica em Buenos Aires, como Cardeal Jorge Bergoglio.

Há sete anos, durante os eventos que marcaram o 91 º aniversário do Genocídio Armênio em Buenos Aires, o então arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio exortou a Turquia a reconhecer o genocídio como o “crime mais grave da Turquia Otomana contra o povo armênio e de toda a humanidade.”

O Diretor do Comitê Nacional Armênio da América do Sul, Dr. Alfonso Tabakian explicou que esta foi a primeira declaração do pontífice desde que foi elevado a papa e líder da Igreja Católica Romana.

Tabakian diz que a declaração foi “muito importante, pois suas palavras transcendem qualquer estado ou religião.”

“Este reconhecimento do Genocídio Armênio como o primeiro genocídio do século XX, reafirma as declarações de João Paulo II [que foram feitas] na sua chegada na Armênia em 25 de setembro de 2001, demonstrando que mais e mais estados, parlamentos e organizações internacionais adotam essa posição contra a negação da história perpetrada pelo Estado Turco “, acrescentou Tabakian.

Durante a visita, Nerses Bedros XIX presenteou o papa com uma pintura retratando Jesus Cristo no crucifixo.

Tradução: M.M.M

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *