Cultura

A rica história dos armênios na Ucrânia

Fontes :

MAHWAH, N.J. – De acordo com o censo oficial ucraniano, 99.894 armênios se estabeleceram permanentemente na Ucrânia em 2001, além de um grande número de trabalhadores vindos da Armênia e de outras repúblicas. Hoje, os armênios da Ucrânia compõem a quinta maior comunidade da diáspora armênia do mundo.

Visão histórica

Os armênios foram mencionados pela primeira vez na Ucrânia durante o período da Rus de Kiev. No século X, comerciantes e artesãos armênios trabalhavam nos palácios de vários príncipes rutenos. Já no século seguinte, um grande número de imigrantes armênios fugiram das invasões seljúcidas e se estabeleceram no sudoeste da Ucrânia após a queda da capital Ani, principalmente nas áreas de Caffa (Feodosia), Sudak e Solkat na península da Crimeia. Como resultado, a península passou a se chamar Arminia Maritima. Este número só aumentou entre os séculos XII e XV após a conquista de tribos mongóis. Um número menor de imigrantes armênios se estabeleceu no centro da Ucrânia, incluindo Kiev, bem como na parte ocidental do país, nos arredores de Potolia e Kalijina, e na cidade de Lviv, que em 1267 se tornou a sede da Igreja Armênia.

Igreja Armênia dos Arcanjos Miguel e Gabriel de Feodosiya, século XV. Restaurado no século XX.

No final do século XIII, quando a população armênia migrou da Crimeia para a fronteira polaco-ucraniana, trouxe consigo a língua Armeno-Kipchak, que até os século XVII era usada nas comunidades armênias de Lviv e Kamianets-Potilsk, hoje dentro da Ucrânia.

Após a queda da Crimeia para a Turquia otomana em 1475, os armênios locais novamente tiveram que deixar suas casas, fixando-se no noroeste do país, onde já havia uma vida nacional florescente. A comunidade gradualmente se integrou à população polonesa local, mantendo a Igreja Católica Armênia.

Igreja de São Gregório Iluminador de Odessa

No século XIV, a Crimeia caiu sob a influência do Império Russo, que encorajou os armênios locais a se estabelecerem na Rússia, um grande número de armênios mudou-se para Rostov-on-Don. Vinte anos depois, os russos ocuparam a península e um grande número de novos imigrantes turco-armênios se estabeleceram e formaram novas colônias.

Igreja armênia em Yalta, Crimeia

Durante a Segunda Guerra Mundial, em 1944, armênios, gregos, búlgaros e tártaros foram deportados da Crimeia como elementos “anti-soviéticos”. Foi só após a década de 1960 que eles foram autorizados a retornar à sua terra natal. Durante a era soviética, os armênios vieram com outras nacionalidades do domínio soviético e trabalharam em fábricas de indústria pesada na parte oriental da Ucrânia.

Os armênios da Ucrânia hoje

O maior número de armênios que vivem na Ucrânia está concentrado no Oblast de Donetsk – cerca de 16.000 armênios. Existem comunidades armênias em Dnipro, Kharkiv, Kherson, Kiev, Luhansk, Mykolaiv, Zaporizhia e Odessa, onde o grande artista ucraniano-armênio Sargis Ortyan passou a maior parte de sua vida. A cidade de Lviv é considerada o “centro espiritual” dos armênios, tornando-se a sede das dioceses das Igrejas Armênia Católica e Armênia Apostólica. No entanto, após a Segunda Guerra Mundial a Igreja Católica saiu da região, que permaneceu sob a autoridade da Igreja Apostólica Armênia.

Os armênios continuaram a constituir uma presença histórica na Crimeia mesmo após a ocupação russa de 2014. Nove mil armênios representam 0,43% da população da região e estão concentrados em grandes províncias como Sebastopol. Entre eles o grande pintor marinho Hovhannes Aivazovsky que cresceu na cidade de Feodosia, na península da Crimeia.

Metade dos armênios locais falam russo, 43% falam armênio e os 7% restantes falam ucraniano.

A História da Igreja Armênia de Lviv

St. Mariam é uma pequena igreja armênia construída entre 1363-1370 com a ajuda de comerciantes de Caffa, no estilo da Catedral de Ani. Em 1437 foi ampliada com diferentes seções, mas hoje apenas a porção sul permanece aberta. Depois que um incêndio na cidade em 1527 a deixou em ruínas, uma nova igreja foi construída em 1571 com uma estrutura de pedra. Do século XVII até 1945, a igreja era de propriedade da liderança católica armênia de Lviv.

Catedral armênia de Lviv

Antes da visita do Papa João Paulo II, as autoridades ucranianas locais entregaram a catedral à Igreja Apostólica Armênia, com a condição de que as Igrejas Católica e Apostólica Armênia a usassem como local de culto. A Diocese da Igreja Apostólica Armênia foi estabelecida em 1997 em Lviv.

A visita de Catholicos de todos os armênios Karekin II

Em 18 de maio de 2003, a catedral foi reconsagrada pelos Catholicos de Todos os Armênios Karekin II. A cerimônia contou com a presença do presidente da Assembleia Nacional Armênia, Armen Khachatryan, o ex-presidente da Ucrânia Leonid Kravchuk, os notáveis ​​da comunidade armênia da Ucrânia, o cantor franco-armênio Charles Aznavour e seu filho, o ator Armen Jigarkhanyan, e o embaixador da República da Armênia à Ucrânia Hrachya Silvanyan, bem como o representante do Patriarca da Igreja Ortodoxa Ucraniana, Dom Augustin (Markevich).

A igreja está passando por reformas desde 2009. A Polônia tem ajudado financeiramente no trabalho de renovação realizado sob supervisão polonesa-ucraniana.

Matérias Relacionadas
Eventos

Novo documentário de Gary Gananian sobre Artsakh será exibido em São Paulo

Gary Gananian, um dos diretores de Rapsódia Armênia, acaba de lançar um novo documentário…
Leia mais
Genocídio Armênio

Mississippi reconhece o Genocídio Armênio

Fontes : ArmRadio O Mississippi tornou-se o 50º estado dos EUA a…
Leia mais
Cultura

'Cantos de um Livro Sagrado' vence festival É Tudo Verdade

O documentário Cantos de um Livro Sagrado, de Cassiana Der Haroutiounian e Cesar Gananian, venceu a…
Leia mais

Deixe um comentário