Cultura

A rica história dos armênios na Ucrânia

Fontes :

MAHWAH, N.J. – De acordo com o censo oficial ucraniano, 99.894 armênios se estabeleceram permanentemente na Ucrânia em 2001, além de um grande número de trabalhadores vindos da Armênia e de outras repúblicas. Hoje, os armênios da Ucrânia compõem a quinta maior comunidade da diáspora armênia do mundo.

Visão histórica

Os armênios foram mencionados pela primeira vez na Ucrânia durante o período da Rus de Kiev. No século X, comerciantes e artesãos armênios trabalhavam nos palácios de vários príncipes rutenos. Já no século seguinte, um grande número de imigrantes armênios fugiram das invasões seljúcidas e se estabeleceram no sudoeste da Ucrânia após a queda da capital Ani, principalmente nas áreas de Caffa (Feodosia), Sudak e Solkat na península da Crimeia. Como resultado, a península passou a se chamar Arminia Maritima. Este número só aumentou entre os séculos XII e XV após a conquista de tribos mongóis. Um número menor de imigrantes armênios se estabeleceu no centro da Ucrânia, incluindo Kiev, bem como na parte ocidental do país, nos arredores de Potolia e Kalijina, e na cidade de Lviv, que em 1267 se tornou a sede da Igreja Armênia.

Igreja Armênia dos Arcanjos Miguel e Gabriel de Feodosiya, século XV. Restaurado no século XX.

No final do século XIII, quando a população armênia migrou da Crimeia para a fronteira polaco-ucraniana, trouxe consigo a língua Armeno-Kipchak, que até os século XVII era usada nas comunidades armênias de Lviv e Kamianets-Potilsk, hoje dentro da Ucrânia.

Após a queda da Crimeia para a Turquia otomana em 1475, os armênios locais novamente tiveram que deixar suas casas, fixando-se no noroeste do país, onde já havia uma vida nacional florescente. A comunidade gradualmente se integrou à população polonesa local, mantendo a Igreja Católica Armênia.

Igreja de São Gregório Iluminador de Odessa

No século XIV, a Crimeia caiu sob a influência do Império Russo, que encorajou os armênios locais a se estabelecerem na Rússia, um grande número de armênios mudou-se para Rostov-on-Don. Vinte anos depois, os russos ocuparam a península e um grande número de novos imigrantes turco-armênios se estabeleceram e formaram novas colônias.

Igreja armênia em Yalta, Crimeia

Durante a Segunda Guerra Mundial, em 1944, armênios, gregos, búlgaros e tártaros foram deportados da Crimeia como elementos “anti-soviéticos”. Foi só após a década de 1960 que eles foram autorizados a retornar à sua terra natal. Durante a era soviética, os armênios vieram com outras nacionalidades do domínio soviético e trabalharam em fábricas de indústria pesada na parte oriental da Ucrânia.

Os armênios da Ucrânia hoje

O maior número de armênios que vivem na Ucrânia está concentrado no Oblast de Donetsk – cerca de 16.000 armênios. Existem comunidades armênias em Dnipro, Kharkiv, Kherson, Kiev, Luhansk, Mykolaiv, Zaporizhia e Odessa, onde o grande artista ucraniano-armênio Sargis Ortyan passou a maior parte de sua vida. A cidade de Lviv é considerada o “centro espiritual” dos armênios, tornando-se a sede das dioceses das Igrejas Armênia Católica e Armênia Apostólica. No entanto, após a Segunda Guerra Mundial a Igreja Católica saiu da região, que permaneceu sob a autoridade da Igreja Apostólica Armênia.

Os armênios continuaram a constituir uma presença histórica na Crimeia mesmo após a ocupação russa de 2014. Nove mil armênios representam 0,43% da população da região e estão concentrados em grandes províncias como Sebastopol. Entre eles o grande pintor marinho Hovhannes Aivazovsky que cresceu na cidade de Feodosia, na península da Crimeia.

Metade dos armênios locais falam russo, 43% falam armênio e os 7% restantes falam ucraniano.

A História da Igreja Armênia de Lviv

St. Mariam é uma pequena igreja armênia construída entre 1363-1370 com a ajuda de comerciantes de Caffa, no estilo da Catedral de Ani. Em 1437 foi ampliada com diferentes seções, mas hoje apenas a porção sul permanece aberta. Depois que um incêndio na cidade em 1527 a deixou em ruínas, uma nova igreja foi construída em 1571 com uma estrutura de pedra. Do século XVII até 1945, a igreja era de propriedade da liderança católica armênia de Lviv.

Catedral armênia de Lviv

Antes da visita do Papa João Paulo II, as autoridades ucranianas locais entregaram a catedral à Igreja Apostólica Armênia, com a condição de que as Igrejas Católica e Apostólica Armênia a usassem como local de culto. A Diocese da Igreja Apostólica Armênia foi estabelecida em 1997 em Lviv.

A visita de Catholicos de todos os armênios Karekin II

Em 18 de maio de 2003, a catedral foi reconsagrada pelos Catholicos de Todos os Armênios Karekin II. A cerimônia contou com a presença do presidente da Assembleia Nacional Armênia, Armen Khachatryan, o ex-presidente da Ucrânia Leonid Kravchuk, os notáveis ​​da comunidade armênia da Ucrânia, o cantor franco-armênio Charles Aznavour e seu filho, o ator Armen Jigarkhanyan, e o embaixador da República da Armênia à Ucrânia Hrachya Silvanyan, bem como o representante do Patriarca da Igreja Ortodoxa Ucraniana, Dom Augustin (Markevich).

A igreja está passando por reformas desde 2009. A Polônia tem ajudado financeiramente no trabalho de renovação realizado sob supervisão polonesa-ucraniana.

Matérias Relacionadas
Artsakh

Armênia retirará suas tropas de Artsakh em Setembro

Fontes : Asbarez, Armenpress O chefe de segurança nacional da…
Leia mais
Artsakh

Comunidades armênias em Berdzor serão cedidas ao Azerbaijão

Fontes : Armenian Weekly Por Lillian Avedian A cidade de Berdzor…
Leia mais
Esportes

Seleção Armênia estreia com vitória na Liga das Nações B

Armênia luta por uma vaga na primeira divisão europeia. No último sábado, 04 de junho, a…
Leia mais

Deixe um comentário