Home Campanhas Campanha Urgente -Bresser-Pereira ofende a memória das vítimas do Genocídio Armênio

Campanha Urgente -Bresser-Pereira ofende a memória das vítimas do Genocídio Armênio

2

Em um infeliz artigo no dia 30 de janeiro de 2012 no maior jornal em circulação no país, a Folha de São Paulo, o ex-ministro e professor Luiz Carlos Bresser-Pereira, lança uma questionável reprovação ao fato da França reconhecer o genocídio armênio.

Com uma série de argumentos totalmente desprovidos de uma mínima pesquisa, o Professor Bresser-Pereira afirma que a França não tem moral para defender o reconhecimento do genocídio armênio. Além de misturar assuntos como o papel colonialista da França com a atuação do parlamento francês semana passada, o articulista demonstra total desconhecimento do tema questionando inclusive qual é o benefício do reconhecimento do genocídio para a Armênia.

  A publicação é ainda mais lamentável uma vez que o referido professor não sabia que a França já reconhece o genocídio como um fato histórico incontestável desde 2001 e os fatos da semana passada estão relacionados à punição do discurso negacionista em território francês.

A ofensa a memória dos mártires armênios é estampada em destaque na matéria que diz: Reconhecer como genocídio morte de armênios é obra de políticos oportunistas

Veja aqui a matéria:  

http://www.bresserpereira.org.br/Articles/2012/103.A_boa_consciencia_da_Franca.pdf

Portal Estação Armênia lança a campanha de protesto contra esse absurdo artigo convocando seus leitores a mandar o seguinte texto para a Ombudsman da Folha de São Paulo, jornalista Suzana Singer, no e-mail:ombudsman@uol.com.br  com o seguinte texto (este texto é optativo):

Prezada jornalista Suzana Singer: 

Como cidadão brasileiro, descendente de armênios, fiquei extremamente ofendido com o artigo do Professor Bresser-Pereira que relativiza o sofrimento dos meus antepassados e incorre em grave erro ao citar fatos de forma equivocada sem nenhuma pesquisa criteriosa sobre o assunto.

Exigimos direito de resposta.

Sem mais.

Assinatura

Comment(2)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *