Home Da Redação Câmara Municipal de São Paulo faz Sessão Solene em reconhecimento do Genocídio Armênio

Câmara Municipal de São Paulo faz Sessão Solene em reconhecimento do Genocídio Armênio

A cidade de São Paulo recebeu ao longo de sua história milhares de imigrantes de origem armênia. Alguns deles chegaram aqui antes mesmo do genocídio de 1915. A grande maioria desembarcou entre o fim dos anos de 1920 e meados dos anos de 1950 e aqui reconstruíram suas vidas.

Neste dia 26 de maio de 2015, a multicultural e multiétnica São Paulo rendeu mais uma vez uma importante homenagem aos mártires armênios de 1915 com uma Sessão Solene na Câmara dos Vereadores de São Paulo por iniciativa do Vereador Gilberto Natalini, organizado pelo Conselho Nacional Armênio – Brasil (CNA-Brasil).

Mesa

O Salão Nobre recebeu autoridades civis e eclesiásticas, representantes comunitários e membros do corpo diplomático de diversos países que prestigiaram mais esse evento.

A mesa dos trabalhos foi composta pelo Vereador Gilberto Natalini (PV), Kevork Zadikian (CNA-Brasil), Garabed Pilavdjian (Vice-Presidente do Fundo Armênia), Janik Ketchian (Representante do Comitê Central da FRA na América do Sul), Sr. Carlos Kherlakian (ex-deputado estadual), Garabed Sapadjian  (vice-Presidente da SAMA –Clube Armênio), James Onnig Tamdjian (Presidente da Associação Cultural Armênia de São Paulo-Tashnagtsutiun) e pela Consul do Uruguai Flávia Patricia Pisano Reggio.

A sessão foi aberta com a execução dos hinos da Armênia e do Brasil pelo Coral Vahakn Minassian da SAMA- Clube Armênio, regido pelo Maestro Alexey Kurkdjian, e os agradecimentos do Presidente do CNA- Brasil Kevork Zadikian que ressaltou a importância de atos como esses para que a luta pelo reconhecimento do genocídio continue.

Em seguida o Coral brindou os presentes entoando diversas músicas armênias. Ao final da apresentação o Maestro Alexey Kurkdjian foi homenageado pela Câmara dos Vereadores de São Paulo e pelo CNA-Brasil com um diploma de honra ao mérito pela sua dedicação e compromisso com a preservação da milenar música armênia.

Janik Ketchian, representante do Comitê Central da Fra Tashnagtsutiun da Argentina, reessaltou que os argentinos já sabiam que o Papa Francisco reconheceria o Genocídio Armênio em abril passado, devido a sua estreita relação com a comunidade armênia de Buenos Aires, aonde sua Eminência foi Cardeal da Diocese local.

Na sequência a tribuna foi ocupada pelo presidente da ACASP – Tashnagtstutiun James Onnig Tamdjian que ressaltou a busca por justiça e a cidadania como sustentáculos da luta pelo reconhecimento do genocídio armênio.

Em suas palavras o Vereador Natalini reforçou seu compromisso com a cultura da paz e apresentou seus requerimentos para o Supremo Tribunal Federal, Câmara Federal dos Deputados, Senado brasileiro e para a Presidente Dilma Rousseff a fim de que todas as instâncias de poder sejam mecanismos importantes para que o Brasil faça parte das nações que reconhecem o genocídio armênio como grave fato histórico (confira no vídeo, abaixo).

Ao final de seu pronunciamento o Vereador Gilberto Natalini foi aplaudido de pé por todos os presentes.

A parte artística contou ainda com a participação do grupo de rap Crônica Mendes, que gravou a música “A Causa Armênia” em parceria com o CNA-Brasil na divulgação do tema. O grupo também foi diplomado pela Câmara Municipal e pelo Conselho de Causa Armênia do Brasil por sua enorme contribuição na luta.

Assista o clipe, abaixo:

A palavra foi concedida a Consul do Uruguai Flávia Patricia Pisano Reggio que lembrou que foi seu país o primeiro a reconhecer o genocídio no mundo e que neste ano todos os ex-presidentes uruguaios vivos compareceram ao ato central do centenário em Montevideo. Ela reafirmou o compromisso de Uruguai de estar na vanguarda da defesa dos direitos humanos e ressaltou que o Uruguai vai criar o Museu do Genocídio Armênio.

O Vereador Gilberto Natalini encerrou a sessão agradecendo a todos os presentes e colocando seu mandato a favor da Causa Armênia.

Veja, abaixo, a galeria de imagens:

Deixe um comentário