Home Da Redação Mais um armênio do Rio como voluntário no Birthright

Mais um armênio do Rio como voluntário no Birthright

0

Por Yuri Kebian Omonte.

No começo de 2012, quando conheci pessoalmente outros jovens armênios no SAMA – Clube Armênio de São Paulo, tive a oportunidade de entender melhor o projeto do Programa Birthright Armenia.

Ao conversar com a maioria dos ex-voluntários daqui do Brasil, que participaram desse programa, notei que a grandiosidade do Birthright é muito maior do que eu imaginava. Isso foi decisivo para a minha escolha. Não titubiei, entrei em contato e fui participar do Birthright.

Na Armênia muitos desconheciam a existência de armênios no Rio de Janeiro e ficaram surpresos quando eu disse que no passado haviam festas armênias no Rio e a Associação Monte Ararat estava em plena atividade.

Voltei ao Brasil em março de 2013 prometendo ao diretor do Birthright que pelo menos mais um armênio do Rio de Janeiro de voluntário eles teriam por lá. Ainda em 2013, eu pude orientar o Paulo e a Bruna para participarem do mesmo programa que eu participei lá na Armênia. Ambos são de São Paulo e fiquei feliz ao tirar todas as dúvidas deles sobre o que é ser voluntário na Armênia.

No ano de 2014, o Gabriel Bogossian, do Rio de Janeiro, me procurou para conversar sobre o Birthright Armenia, e ao ler o meu blog dessa maravilhosa viagem, ele foi pedindo mais informação. De pouco a pouco a ideia de conhecer a Armênia e ser um voluntário da pátria foi amadurecendo.

Gabriel Bogossian 5
Gabriel Bogossian

Formado na Escola de Comunicação da UFRJ, Gabriel já trabalhou em um canal de TV, e nos próximos dias vai iniciar o seu trabalho voluntário na Armênia. Assim como meu avô, o bisavô dele nasceu em Mardin. E assim como minha avó, a bisavó dele nasceu em Aleppo. O sobrenome dele minha mãe e meus tios sempre ouviram falar dentro de casa. Provavelmente eles já se conheciam muito antes de pensarem em vir para o Brasil fugindo do genocídio que está prestes a completar 100 anos. Eis que anos depois um neto e um bisneto de Mardin se conheceram por algo que temos em comum: o orgulho de nossas origens e a vontade de conhecer o que sobrou da Armênia. Gabriel será o segundo armênio do Rio a participar do Programa Birthright Armenia.

Muito mais do que conhecer as terras ancestrais (mesmo que sejam terras bem distante de onde a linha ascendente nasceu) e ter o reembolso da passagem aérea caso cumpra todos os pré-requisitos, esse é um projeto que você debate as questões armênias com outros voluntários e também com os armênios locais. Além disso, a felicidade de cada hayastantsi (armênio local) ao ver que você fez uma longa viagem para ser um voluntário da pátria é algo inexplicável! Também não sei como explicar sobre a felicidade dos armênios locais quando eles descobriram que meses antes de eu iniciar uma conversa com eles no idioma local eu sabia apenas 10 palavras em armênio. Assim como eu, o Gabriel também vai começar a aprender o idioma do zero e vai ver de perto tudo isso que eu citei.

Fiquei feliz quando soube da participação da Bruna e do Paulo, mas não nego que a felicidade de ver mais um do Rio de Janeiro participando desse maravilhoso programa é muito maior, tendo em vista que aqui no Rio não tem entidades armênias.

No momento em que esse texto estiver publicado, você já estará na terra de nossos ancestrais.

Desejamos boa sorte para ti nessa sua nova jornada e sabemos que com sua competência irá cumprir tudo integralmente. Ao voltar pra cá, todos nós vamos querer ouvir sobre esses teus dias na Armênia, que com certeza serão maravilhosos.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *