Home Hamazkayin Nairi no Hamazkayin | 8° dia: Oshagan e Lisbon 5
0

Nairi no Hamazkayin | 8° dia: Oshagan e Lisbon 5

0

Oitavo dia do Fórum Estudantil de Verão do Hamazkayin (dia 26/07)

Nairi 2Por Nairi Zadikian:

Leia todos os relatos em -> www.estacaoarmenia.com.br/hamazkayinn


Nosso sábado começou com uma visita muito emocionante, que ficará pra sempre na minha memória. Começamos visitando a cidade Oshagan, que abriga a Igreja Surp Mesrob Mashdots. Santo que nomeia também o museu Matenadaran, que visitamos nos primeiros dias de fórum. Visitamos seu túmulo, que fica dentro da igreja, onde depositamos flores ao grande líder que é responsável pela grande riqueza da nossa língua e do nosso alfabeto.

Lá, pudemos participar de uma palestra incrível, por parte do Prof. Dr. Hrant Markarian, sobre o alfabeto armênio. Nela pudemos compreender o processo que levou a criação do alfabeto armênio, o cenário antes dele, e as mudanças que ocorreram pra nossa nação com um método de escrita próprio. A igreja e seu pátio é todo ornado com detalhes que lembram nossas letras e cada uma delas está esculpida em pedras do lado de fora, onde cada um procurou a do seu nome para tirar foto!

Logo depois visitamos a antiga igreja de Ashdarag, que é envolvida por uma atmosfera também incrível, centrada em volta de muita natureza e Khach Kars incríveis.

Voltamos ao hotel, almoçamos e tivemos finalmente um tempo livre. Devo confessar agora um detalhe: enquanto todos foram à feira Vernisage, comprar souvenirs, eu tive a minha melhor experiência de todas aqui na Armenia.

10526667_10204194424924710_277695730_nMinha amiga suryahay (Armênia da Síria) que também está no fórum, mas que mora há quase 2 anos na Armênia, me levou ao Clube do HEM (Hay Erdasartants Miutyun) filiado à FRA. Lá, cerca de 25 jovens se preocupavam com os preparativos do evento que homenagearia o Lisbon 5 mais tarde na Praça Komitas no centro. Acompanhei os de perto e foi incrível poder sentir a energia do grupo que, mesmo morando na Armenia, só falando armênio, respirando armênio, são engajados em todos os movimentos de rememoração dos nossos heróis, manutenção da cultura, e preservação da armenidade. Levamos painéis, faixas, muitos banners e distribuímos folhetos pela cidade com a história dos nossos bravos jovens, Simon, Sarkis, Setrak, Ara, e Vache.

O evento reuniu muita gente… Foram cantadas diversas musicas patrióticas em coro, declamado poema, foi exibido um pequeno filme alusivo e também uma palestra, por parte do Enger Jirair Beojekian, que explicou de forma clara e sucinta o que foi a operação. Ao fim, foram acendidas velas em memória aos jovens, em frente a um grande painel com a foto deles.

Foi MUITO emocionante. Uma das melhores, se não a melhor, experiência minha aqui.

Acho que vou deixar pra cada um tentar imaginar e sentir a emoção que era estar lá. Jovens, muitos jovens. Cantando, chorando, acendendo velas pela alma daqueles que deram a vida, sem nunca terem visto a Armenia, mas acreditando no que ela representava. Abriram mão da própria vida pelo reconhecimento da nossa causa. Merecem nosso eterno respeito, e mais do que isso, merecem que nós continuemos lutando. Não é só por eles, isso é por nós. Para que nós mantenhamos armênios. Assim encerrei o dia, mergulhada nos pensamentos que me remetiam a toda vontade daqueles jovens de lutar, de trabalhar e de manter armênios. Eles me acolheram como uma família, como se eu sempre estivesse lá, como se eu também fosse HEMagan, e em questão de algumas horas já estavam me perguntando quando eu ia me mudar pra Armenia. Amei a experiência, foi muito enriquecedora. Não esquecerei tão cedo.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *