Home Genocídio Armênio Artigo de dezembro: 70 anos em 7 atos

Artigo de dezembro: 70 anos em 7 atos

1

Sama Clube Armênio


Ato # 1

Na história política da colônia armênia no Brasil , está escrito que a S.A.M.A NASCEU de uma costela da Federação Revolucionária Armênia, Tashnagtsutiun, em letras garrafais para ninguém ter dúvidas disso.

Em 1941 Arsen Mikaelian inseriu com sua obra política esperança em um povo disperso pela América do Sul e que havia sido vitimado muitas vezes nas décadas anteriores, fosse pelo crime de genocídio ou os mal tratos stalinistas na Armênia Soviética.

Havia acabado a orfandade política e essa pequena massa de armênios tinha muitos motivos para continuar lutando. Ao contrário de outras linhas políticas o Tashnagtsutiun acreditava na existência de uma questão nacional armênia que colocava a luta pela liberdade plena como questão fundamental. Não havia espaço para conformismo.

Ato # 2

O crescimento Samista/Tashnagtsagan se deu com forte apelo popular. Por questões socioeconômicas típicas da realidade brasileira a questão nacional sobrepujou discussões filosóficas de peso mas que jamais foram esquecidas. A presença de uma escola armênia forte em São Paulo era reflexo dessa restrita mas densa discussão. Anos depois essa opção que dava prioridade a questão nacional se mostrou correta mesmo que criticada. Basta ver a maravilhosa tricolor e escutar a belíssima Mer Hairenik (hino da Armênia) em nossos dias para entender o acerto da escolha Tashnagtsagan. Nascia assim uma ação política mobilizadora que entre 1950 e 1970 consolidou com outras forças políticas aquilo podemos chamar hoje de comunidade.

Ato # 3

A partir desse período a frente Samista/Tashnagtsagan se consolida com o patrimônio do Clube Armênio adquirido por abnegados companheiros Samistas, beneméritos simpatizantes e com a participação de recursos vindos dos órgãos dirigentes regionais do Tashnagtsutiun. Dessa forma a aliança SAMA-TASHNAGTSUTIUN criou um laço indestrutível.

Ato # 4

Os anos de 1970 marcaram o início das mudanças. Forças alienígenas tentaram desestabilizar essa aliança. Tensões foram infiltradas para enfraquecer o trabalho de décadas. Mesmo assim esses artifícios não macularam o espirito original de engajamento popular e participação política. Os traidores foram punidos e os fracos e titubeantes se afastaram e continuam distantes até hoje para nossa sorte.

Ato # 5

As mudanças no Brasil e no mundo provocam alterações ao longo dos anos de 1990 em todo o conjunto da coletividade armênia do Brasil. A S.A.M.A – Clube Armênio é desde então a protagonista da coletividade. Suas entidades co-irmãs estão presentes em todos os campos possíveis de atuação. HOM ( Osasco e São Paulo), CNA ( Conselho Nacional Armênio- Filial São Paulo), todas em conjunto ancoradas pelos elos com a Federação Revolucionária Armênia – Tashnagtsutiun.

Ato # 6

Essas mudanças estão deixando cada vez mais claro que é fundamental atitude em todos os campos da vida inclusive na comunitária. A Armênia é um país em transição e o papel da diáspora é ímpar para a consolidação da Pátria-mãe. Nessa consolidação os desafios são tão enormes que não temos tempo para nada mais que vem do passado. Atitudes revanchistas, mesquinhas e assoberbadas não tem mais espaço por um simples fato: a Armênia precisa de toda a nossa força e precisa que a comunidade seja sólida nesses novos tempos.

Ato # 7

Depois de 70 anos da chegada de Arsen Mikaelian os desafios são totalmente novos e oriundos de um mundo globalizado. Mais do que nunca a nossa querida SAMA- Clube Armênio com seu papel protagonista tem a tarefa de inserir a nossa comunidade nesse mundo globalizado. Ela vem cumprindo esse papel com maestria quando participa ativamente dos jogos Navasartian e junto com outras entidades forma as equipes para os jogos Pan-Armênios.

Ato #futuro

É chegada a hora de reencontrar ideologicamente Arsen Mikaelian e dos seus seguidores tashnagtsagan da velha guarda que fundaram e edificaram a S.A.M.A! Reencontrar nosso destino. Fazer valer a verdadeira vocação social-democrata de nossas raízes políticas. Todos indiscriminadamente devemos cerrar ombros para que esse pacto não seja esvaziado ou quebrado. Desde o mais simples simpatizante até o ativista, todos devemos atuar, agir como adultos responsáveis.

O mundo está a nossa frente e as bandeiras do TASHNAGTSUTIUN , do HOMENETMEN, da HOM, do HAMAZKAIN e do CNA estão hasteadas para que os ideais da SAMA-CLUBE ARMÊNIO continuem eternamente. Aproveito para deixar um alerta: Ausências constantes, omissões, semear a discórdia, irresponsabilidades, tentar esvaziar ou dividir 70 anos de lutas é tudo que os turcos querem! Definitivamente devemos fazer tudo pela união! Qualquer atitude contrária a essa união é traição aos ideais de Arsen Mikaelian , a causa e a nação Armênia!

*James Onnig Tamdjian é colunista do Estação Armênia e suas opiniões não refletem necessariamente

James Onnig Tamdjian Professor de Geografia e Geopolítica. Fleumático, colérico, sanguíneo e melancólico.

Comment(1)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *