Home Da Redação Um marco para a República da Armênia e para a Comunidade Armênia de São Paulo
2

Um marco para a República da Armênia e para a Comunidade Armênia de São Paulo

2

O dia 21 de setembro de 2011 vai ser lembrado como uma data especial em todos os sentidos para aqueles que estiveram na comemoração da independência da Armênia no salão de recepção do Consulado Armênio de São Paulo.

A Consul Geral Honorária Hilda Diruhy Burmaian e o Embaixador da República da Armênia Ashot Yeghazarian recepcionaram mais de uma centena de convidados em um evento importante e de grande emoção para todos os presentes.

Desde a entrada das bandeiras armênia e brasileira carregadas pela 1a. Tenente PM Karoline Burunsizian Fernandes do Comando do Corpo de Bombeiros e pelo 1o Tenente PM Arley Topalian da Corregedoria da Polícia Militar, ambos descendentes de armênios, até a monumental queima de fogos, indiscutivelmente todos os presentes estavam em congraçamento pela data histórica.

O discurso da Excelentíssima Consul Hilda Diruhy Burmaian foi o termômetro dessa empolgação. As palavras mostravam que o futuro se realiza a cada dia no presente da República da Armênia nesses 20 anos de independência.

As palavras do Excelentíssimo Embaixador Ashot Yeghazarian deram a mostra de todo o esforço que está sendo feito para que o progresso da Armênia continue.

O Grupo Escoteiro Armênio Sardarabad com o Chefe Denis Tchobnian esteve presente, assim como membros da comunidade Armênia de São Paulo de todas as entidades da comunidade. A iniciativa da Embaixada e do Consulado em comemorar essa importante data, sem dúvida nenhuma, é motivo de orgulho inenarrável para os armênios de São Paulo e do Brasil.

James Onnig Tamdjian Professor de Geografia e Geopolítica. Fleumático, colérico, sanguíneo e melancólico.

Comment(2)

  1. Sempre eh um marco para a comunidade um grande show um grande espetaculo, mas engraçado que a comunidade parece se resumir a esses poucos que o consulado estendeu convite. Ao inves de se preocuparem com a nova geração a juventude abandonada sem incentivos para nada, infelizmente continuam a paparicar a meia duzia dos mesmos.
    somos 20, 50, 100 mil nesse país? agora quantos de fato quantos sabem o q eh ser armenio se conhecem como armenios ou ao menos tem suporte para se conhecer como tal?
    atriste realidade eh qeu jah fomos grandes e fortes um dia, hj nao passamos de um catado de almas espalhadas por ai daqui uns anos talvez sejamos penadas e ai como jah disse hitler; quem se lembra dos armenios?
    chega de hipocrisia, festinhas sociais e colarinho branco precisamos de mudança na mentalidade das entidades e mao na massa pq nao tomamos o msm exemplo de comunidades como a judaica, japonesa e etc q permanecem firmes e mt bem colocadas na sociedade…
    talvez pq somos armenioos e esse problema eh nosso, alias problema daqueles q nao estao no grupo seleto. o q se tem feito nessa comunidade alem de festas e eventos sociais???? cheeeega!!!!

  2. É isso aí, você tem razão será sempre um grupo seleto,que na verdade pensam que a gente não existe, do jeito que está indo as comunidades armenias ficarão só, aí vão colocar a culpa nos mais jovens que não se interessam por nada, mas é grande a mentira e cara de pau que eles tem, erram e não aceitam, omitem verdades ocorridas, a minha opinião é só uma: não tem direção. Fim de papo!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *