Home Da Redação Novo projeto de lei em Israel

Novo projeto de lei em Israel

1

Asbarez

Nesta quarta-feira o parlamento de Israel, Knesset, discutiu outra medida relacionada ao Genocídio Armênio sobre a atribuição de um dia comemorativo para o Genocídio e decidiu que o seu Comitê de Educação e Cultura discuta esta nova medida e faça recomendações ao Knesset, segundo o membro do Comitê Nacional Armênio de Jerusalém, Hagop Sevan.

O Knesset votou 25 contra 1 para enviar o projeto de lei para apreciação da Comissão de Educação e Cultura. A medida foi introduzida pelo membro do Knesset Arie Eldad. Esta segunda resolução prevê programas educativos e grades currículares sobre o Genocídio Armênio a serem ensinados no 24 de abril.
O voto contra veio de um membro do Knesset que é descendente de Azeri.

O representante do governo de Israel, Uzi Landau, que é ministro de Israel de infra-estrutura nacional comentou que uma vez que o governo acredita que a Armênia e a Turquia devem resolver este problema entre si, o governo não se opõe à discussão da medida pelo Comitê Knesset.

No dia 18 de maio, um movimento pelo partido Meretz para pedir à comissão Knesset israelense de educação que discutisse uma resolução reconhecendo o Genocídio ArmÊnio foi aprovada por unanimidade.
A moção apresentada pelo delegado Meretz Zahava Gal-On também recebeu o apoio de representantes do governo que votaram a favor da proposta.

Durante o debate de mais de 30 minutos no chão da Knesset, em 18 de maio, vários membros do partido expressaram suas opiniões sobre a resolução. Em nome do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Religião ministro, Yakkov Marki expressa a posição do ministério, que era deixar a questão sobre a defesa e relações exteriores da comissão, acrescentando que Israel deve apoiar o processo de diálogo Armênia-Turquia.

No entanto, Marki expressou sua convicção pessoal afirmando o Genocídio, e acrescentou que chegou a hora de Israel tomar uma decisão clara sobre o assunto. Ele então propôs que a comissão de educação da Knesset tratasse do assunto.

Também estava no debate Ze’ev Elkin que apoiou a moção para a tarefa da comissão de educação com a questão. O papel de Elkin na fruição desse movimento foi considerável.
O movimento dessa quarta-feira se torna o segundo projeto de lei a ser discutido pelo comitê Knesset de educação.

Comment(1)

  1. está na hora da Turquia assumir que seus antepassados fizeram e deixaram de fazer,a Alemanha fez e aceitou isso.Nos chamados seres humanos,deveria tomar vergonha na cara e assumir o que fazemos por que eu tenho um nome a zelar,foi me a dado a vida para viver,e viver com abundância entre os povos,sem olhar o que o outro tem,muitos me olham como não tenho nada na vida,enganasse eu tenho é muito sabe o que? vida,disposição e muita responsabilidade com todos.já passei muito na vida,para finalizar irmãos nasci CARECA,PELADO,SEM DENTES O QUE VIER É LUCRO,NÃO LEVO NADA !SOMENTE DIGNIDADE.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *