Home Da Redação 3 vezes Kohar – 3 dias de muita armenidade
0

3 vezes Kohar – 3 dias de muita armenidade

0

Entre os dias 9 e 11 de novembro a coletividade armênia de São Paulo vivenciou umas das maiores experiências em termos de armenidade. Foram três dias de muita música, dança, cultura e, acima de tudo, espírito armênio com as apresentações da Orquestra Sinfônica e Coral Kohar da cidade de Gyumri, noroeste da Armênia e que foi uma das cidades mais afetadas pelo terremoto de 1988.

A turnê sul-americana começou no dia 23 de outubro em Montevidéu, passando por Buenos Aires e Córdoba, até chegar à São Paulo no dia 5 de novembro onde a trupe foi recepcionado no hotel Renaissance por cerca de 40 fãs munidos de bandeiras da Armênia e fogos de artifício para alegria dos integrantes do grupo.

Extremamente proveitosa do ponto de vista da armenidade, as apresentações do Kohar em São Paulo foram assistidas por quase 3 mil pessoas e encantou diversas gerações de armênios com o seu profissionalismo, a virtuose de seus instrumentistas, a graça das dançarinas, o vigor do coral, o perfeccionismo do maestro e diretor artístico Sebouh Abcarian e o carisma do ator dramático Hamlet “Mime” Chobanyan.

Os armênios de São Paulo dançaram, cantaram e se emocionaram com as músicas armênias mais conhecidas como Zeituntsineri yerke, Hey Vodki Hay joghovurt, Tsayn Door ov fedah, Guiliguia, entre outras, e com as canções brasileiras “Mas que nada”, “Garota de Ipanema” e “Aquarela do Brasil” e foram ao delírio quando Mime entrava no palco empunhando a bandeira do Brasil.

Nos três dias de concerto, no Auditório Ibirapuera, ao fechar o setlist programado com a canção Garmir, Gabuyd, Dziranakuyn, a Orquestra Sinfônica e Coral foi convencida a voltar ao palco após os insistentes e apaixonados gritos e aplausos vindos da plateia que, neste ponto, já estava toda de pé, com os jovens aglomerados na frente do palco pedindo pelo bis e por suas músicas favoritas.

Não faltou a tradicional pirâmide humana dos jovens da coletividade sendo que alguns chegaram a subir no palco para dançar junto com os membros do grupo.

No retorno para o bis, o Kohar atendeu gentilmente as solicitações da audiência, executando canções como Tsayin Me Hntches, Kedashen, Sardarabad e a clássica Yerevan/Erepuni, cantada uníssona pelos músicos e por todos os presentes emocionadíssimos. Uma aula de armenidade que, certamente, renovou os ânimos da coletividade.

 O Portal Estação Armênia ouviu alguns espectadores que expressaram sua admiração.

O advogado Eduardo Zeronian disse: “Um show inesquecível! Músicas que estávamos acostumados a ouvir nas casas armênias e que agora renascem dentro dos nossos corações.“ 

A arquiteta Daniela Pilikian afirmou: “Sem sombra de dúvidas será um marco a passagem do Kohar por São Paulo.

A empresaria Tatiana Agopian bradou: “Somente a palavra maravilhoso pode exprimir o que aconteceu aqui.

Fabiana Bussamra Guerra, publicitária, declarou: “Todo o sacrifício para trazer a família para ver o Kohar valeu a pena.

Efetivamente, o grupo Kohar já deixou saudades na comunidade armênia do Brasil.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *