Home Da Redação Tia Armênia: viral faz sucesso na comunidade armênia do Brasil
0

Tia Armênia: viral faz sucesso na comunidade armênia do Brasil

0

Um canal no Youtube está fazendo muito sucesso entre os membros da comunidade armênia do Brasil.

Tia ArmêniaEm uma série de vídeos (que contam apenas com o áudio numa tela preta), a personagem “Tia Armênia” dá alguns depoimentos sobre a sua agitada vida no seio da coletividade de São Paulo. Com o sotaque peculiar tão conhecido por todos nós, a personagem criada por um autor anônimo desfila uma série de preocupações acerca das tradições armênias como os casamentos fora da colônia, culinária, religião etc.

Com muito humor e respeito, a Tia Armênia envolve de forma explícita ou não, uma série de pessoas e lugares familiares, como a esfiharia Effendi, porto seguro da idosa sempre que ela deseja comer a mais tradicional comida ermeni. A Igreja Apostólica Armênia também não escapa e é palco de uma das mais hilárias histórias, quando a Tia Armênia bate o seu carro no automóvel do Der Hayr (padre) e foge para não ser descoberta.

Abaixo ouça o episódio intitulado: “Tia Armênia bateu no carro do Derhai”.

Outros episódios memoráveis dizem respeito aos quilos de bastermá roubados da mulher quando ela caminhava pela Oscar Freire, ou ainda a comemoração feita por ocasião do fim do relacionamento da neta com um deghatsi (não-armênio).

Não há informações da autoria dos vídeos, nem sabemos quando serão publicados novos episódios. O certo é que todos estão interessados nas peripécias da Tia Armênia que entre um caso e outro, brinda a todos nós com seu humor irreverente, inteligente e alegre (e também com seus patchás).

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre o personagem e suas histórias, acesse o canal da Tia Armênia no Youtube:

http://www.youtube.com/user/tiaarmenia

 

Armen Kevork Pamboukdjian Editor-chefe e redator do Estação Armênia. Nascido na capital Paulista, é formado em jornalismo pela Universidade Nove de Julho, em skate pela faculdade das ruas e em causa armênia pela universidade da luta e resistência.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *