Ataques do Azerbaijão à Tavush continuam durante a semana

0
0

12 de Julho

Forças Armadas do Azerbaijão tentaram violar a fronteira da Armênia na região de Tavush. Após tiros de aviso do lado armênio, os militares do Azerbaijão retornam à sua posição.

Às 13h45, os militares do Azerbaijão repetiram – usando fogo de artilharia – a tentativa de tomar a posição, mas foram reprimidos pelo lado armênio e recuaram, sofrendo baixas.

À noite, o Azerbaijão voltou a atirar. Os disparos continuaram durante toda a noite. Todas as tentativas do oponente foram neutralizadas por unidades armênias.

Leia aqui a matéria sobre o ataque do Azerbaijão em direção a província de Tavush

Ouça o Podcast sobre os ataques

13 de Julho

A forças armadas do Azerbaijão dispararam sete projéteis de calibre 82 mm e 3 morteiros de calibre 120 mm na direção do assentamento de Chinari, danificando o telhado de uma das casas. Os ataques afetaram a infraestrutura civil de Berd.

À noite, movimentos de tanques inimigo foram observados nas posições de combate das Forças Armadas Armênias. Em resposta às ações provocativas, os militares das Forças Armadas tomaram contramedidas e pararam a penetração das tropas do Azerbaijão. As unidades de defesa aérea das Forças Armadas da Armênia danificaram o veículo Elbit Hermes 900 UAV do exército do Azerbaijão.

Pela primeira vez foram utilizados UAVs fabricados na Armênia, registrando bons resultados. O Azerbaijão informou cerca de 11 vítimas, incluindo o Major-General das Forças Armadas do Azerbaijão Polad Hashimov e o Coronel Ilgar Mirzoev.

O sargento júnior Smbat Gabrielyan, o sargento Grisha Matjosyan, o major Garush Hambardzumyan e o capitão Sos Elbakyan foram mortos pelo fogo inimigo. Dez militares receberam vários ferimentos durante a operação militar.

14 de Julho

Um centro de informações sobre crises foi montado na cidade de Ijevan, região de Tavush.

A porta-voz do Ministério da Defesa da República da Armênia, Shushan Stepanyan, compartilhou uma foto de satélite que mostrava que as Forças Armadas do Azerbaijão implantaram artilharia em áreas próximas à população civil, visando atacá-las.

Já no início da noite, foi observada uma diminuição gradual da tensão. Por volta da meia-noite os ataques cessaram quase completamente.

A sessão do Conselho Permanente da CSTO realizou uma reunião, onde o Representante Permanente e Plenipotenciário da Armênia, Victor Biyagov, abordou a escalada da situação na direção nordeste da fronteira armênia-azerbaijana. O representante armênio mencionou que as forças armadas do Azerbaijão estavam bombardeando a infraestrutura civil dos assentamentos armênios das aldeias de Chinari e Aygepar, o que resultou em danos às instalações civis.

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Morgan Ortagus, também abordou a situação no rio Tavush fronteira entre Armênia e Azerbaijão. Ele observou que os Estados Unidos condenam veementemente a violência em toda a fronteira internacional entre Armênia e Azerbaijão

15 de Julho

Com base em uma petição do primeiro-ministro Nikol Pashinyan, o presidente Armen Sargsyan assinou os pedidos para premiar com medalhas os soldados que morreram durante a defesa da região de Tavush, na fronteira da Armênia.

Durante a cerimônia realizada no Palácio Presidencial, o presidente expressou profundas condolências às famílias e parentes dos heróis e concedeu aos coronéis Artak Tonoyan, Zhirair Poghosyan e Andranik Piloyan o posto de Major-General.

Sargsyan também observou que as ações recentes do Azerbaijão são tentativas claras de agressão militar, que estão fadadas ao fracasso. “É claro que a situação está sob o controle total de nossas forças armadas. Embora não sejamos os primeiros a atacar, nossas forças armadas controlam a situação em qualquer caso.”

Durante a madrugada, por volta das 03:40, na parte nordeste da fronteira armênia, as posições das Forças Armadas Armênias descobriram um movimento inimigo. As unidades armênias empreenderam ações defensivas para impedir a tentativa de sabotagem do inimigo (cerca de 100 pessoas).

Após as hostilidades, o inimigo sofreu perdas e foi retido. O lado armênio não teve vítimas.

Após uma sabotagem malsucedida, o exército azerbaijano iniciou um incêndio nas aldeias Aygepar e Movses às 05:20. As unidades armênias destruíram tanques inimigos e projéteis de artilharia, que realizaram um ataque de fogo a posições e assentamentos armênios.

16 de Julho

Padre Abel Kartashyan em Chinari

Durante as hostilidades, o lado do Azerbaijão atacou os assentamentos de fronteira da Armênia e a infraestrutura civil, usando lança-granadas e equipamento pesado de artilharia. Berd, Aygepar, Nerkin Karmraghbyur, Movses, Chinari e outras comunidades fronteiriças foram bombardeadas. Casas residenciais, infraestrutura cívica, pomares e árvores foram danificados.

O jardim de infância da vila de Aygepar, na região de Tavush, foi destruído pelo bombardeio do inimigo. O prefeito de Yerevan Hayk Marutyan anunciou que o jardim de infância será reformado com os fundos comunitários de Yerevan.

Armamento não explodido foi encontrado na comunidade de Chinari.

Os moradores das comunidades atingidas não deixaram suas casas. Eles se refugiaram em abrigos e porões. O governador regional de Tavush, Hayk Chobanyan, anunciou que as casas danificadas serão reparadas e novas serão construídas. Foi criada uma comissão para avaliar os danos dos assentamentos.

O Azerbaijão ameaça a Armênia com terrorismo nuclear. O chefe do serviço de imprensa do Ministério da Defesa do Azerbaijão, Vagif Dargyakhli, afirmou que a Usina Nuclear Armênia de Metsamor pode ser atingido. Não é a primeira vez que o Azerbaijão faz esse tipo de declaração terrorista.

O primeiro-ministro Nikol Pashinyan participou do funeral do major Garush Hambardzumyan no panteão militar de Yerablur, morto por fogo inimigo no confronto. Em seu discurso, o chefe do governo afirmou que “Devemos permanecer firmes nesta terra, tão fortes quanto nossos irmãos heróicos em Tavush agora. […] E todos os dias, devemos treinar nossas mentes, fortalecer nossas almas, nossos braços e pernas para permanecermos firmes neste terreno, que simboliza os heróis de Sardarapat, os heróis da guerra de libertação de Artsakh, os heróis da guerra de abril.”

O presidente do Azerbaijão demitiu Elmar Mammadyarov do cargo de Ministro das Relações Exteriores após críticas ao seu desempenho. Jeyhun Bayramov, 47 anos, foi apontado como o novo Ministro das Relações Exteriores. Antes disso, ele ocupou o cargo de Ministro da Educação.

Diversas notícias falsas são reproduzidas pelas mídias do Azerbaijão, desde inversão dos fatos (de que a Armênia teria iniciado os ataques), falsas notícias de baixas armênias e até falsos anúncios se passando pelo governo armênio recrutando civis armênios, na intenção de causar caos.

17 de Julho

Casa de civil atingida por ataque do Azerbaijão em Ayegepar em 17 de Julho

Uma situação relativamente calma foi observada na fronteira durante todo o dia. O exército azerbaijano disparou armas de fogo de vários calibres em todas as direções da fronteira, porém as Forças Armadas da Armênia mantiveram a situação fronteiriça sob controle ao longo de toda a linha de fronteira.

Como resultado das hostilidades do Azerbaijão, 36 pessoas ficaram feridas, a maioria delas não precisou de hospitalização. Os soldados voltaram rapidamente para a fronteira.

O Comitê de Investigação da República da Armênia iniciou 30 processos criminais por violações do cessar-fogo pelas forças armadas do Azerbaijão, em violação aos requisitos das Convenções de Genebra, e Direito Internacional Humanitário, sobre atirar em civis com artilharia pesada, lançadores de granadas e outras armas.

O Parlamento turco (Majlis) fez uma declaração tendenciosa acusando a Armênia de responsabilidade na situação na fronteira com o Azerbaijão, expressando apoio incondicional ao Azerbaijão.

O Ministério das Relações Exteriores da Armênia emitiu uma declaração em resposta às ameaças de ataque à usina nuclear armênia na qual expressa que esses atos do Azerbaijão são interpretados como um terrorismo governamental que expressa as intenções genocidas do país.

No total, 24 casas, uma fábrica de conhaque, uma vinícola, um jardim de infância, um cemitério, quatro carros, uma linha de água, um gasoduto, uma estufa e um posto policial foram danificadas como resultado do bombardeio de diferentes assentamentos da região de Tavush.

Durante protesto em Londres em frente a Embaixada Armênia manifestantes armênios enfrentaram grupos de apoio ao Azerbaijão .

 

18 de Julho

ORBITER-3

Durante a madrugada, a situação na fronteira permaneceu relativamente calma. As Forças Armadas do Azerbaijão, usando armas de fogo, dispararam indiscriminadamente na direção de bases posicionadas perto das aldeias de Movses, Zangakatun e Khndzorut.

Os tiroteios e bombardeios parecem ter parado, mas a disseminação de pânico de várias contas falsas e usuários nas internet continua.

Por volta das 6h38, as unidades de defesa aérea do Exército de Defesa abateram um ATS do tipo “ORBITER-3” do inimigo, realizando um vôo de reconhecimento na direção nordeste.

Pashinyan afirma que “Um sistema internacional de monitoramento confiável do cessar-fogo precisa ser estabelecido”.

Reação internacional

A comunidade internacional também reagiu à escalada da situação, pedindo contenção.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, observou que a Rússia, sendo co-presidente do [OSCE] Minsk Group, está pronta para usar seus esforços de mediação para se estabelecer. “Estamos pedindo aos dois lados a exercerem restrições e honrarem suas obrigações como parte de um cessar-fogo.”

O co-presidente do comitê armênio do Congresso dos EUA, Frank Pallone expressou seu apoio à Armênia e ao povo armênio, condenando as recentes ações provocativas do Azerbaijão ao longo da fronteira com a Armênia. “O Azerbaijão está mais uma vez tentando iniciar uma guerra com a Armênia. O uso constante da retórica cáustica do Azerbaijão voltada para a Armênia e para Artsakh faz parte de um esforço conjunto para provocar outro conflito”, disse.

O senador Edward J. Markey também expressou seu apoio à Armênia. “Eu permaneço com a Armênia enquanto eles protegem sua integridade territorial. O Azerbaijão e a Turquia devem respeitar a fronteira armênia / azeri, respeitar as aspirações do povo armênio de Nagorno Karabakh e desescalar esse conflito imediatamente.”

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, apelou à Armênia e ao Azerbaijão que iniciem a redução do conflito. “O secretário-geral pede o fim imediato dos combates e apela a todos os envolvidos para que tomem medidas imediatas para diminuir a situação e evitar uma retórica provocativa”, disse por meio de seu porta-voz.

As autoridades italianas e holandesas também abordaram a agressão do Azerbaijão, expressando solidariedade com o povo armênio.

O mundialmente famoso músico Serj Tankyan, vocalista da banda americana de rock System of a Down, escreveu que o Azerbaijão é tudo menos uma democracia.  “Nunca veremos paz entre a Armênia e o Azerbaijão se os azerbaijanos não tiverem um líder decente e liberdade para escolher seu próprio destino. É chegada a hora de realizar uma revolução pacífica no Azerbaijão, como a Revolução de Veludo na Armênia em 2018. Este é Ilham Aliyev! Ele é o presidente da oligarquia de petróleo do Azerbaijão. Ele herdou o poder do pai e fez da esposa um vice-presidente. O Azerbaijão é tudo menos democracia”, disse Tankyan, pedindo o fim do poder de Aliyev.

“O Azerbaijão começa uma guerra regional em uma pandemia global” disse Alexis Ohanyan, empresário armênio e co-fundador da rede social Reddit, ao compartilhar a mensagem do Comitê Nacional Armênio da América em sua página do Instagram.

A estrela da TV armênia norte-americana Kim Kardashian convocou seus seguidores a se voltarem para os membros do Congresso e falar sobre a agressão desencadeada contra a Armênia.  “O Azerbaijão ameaçou atacar a usina nuclear da Armênia. A comunidade internacional deve intervir, tomar medidas políticas e diplomáticas para evitar tensões e mortes. Apoio meus compatriotas e oro por aqueles que vivem na fronteira e atualmente estão passando por esses horríveis eventos”, escreveu.

Kardashian convidou seus milhões de seguidores a contatar os congressistas em seu círculo eleitoral e exortá-los a votar a favor da votação de 20 de julho nos EUA. Nesse dia, o Congresso discutirá a questão de fazer alterações na assistência militar estrangeira, uma das quais pode ser o cancelamento da ajuda militar ao Azerbaijão.

A Sociedade de Socorro da Armênia juntou-se às declarações condenando a agressão do Azerbaijão e exortou a comunidade humanitária internacional a agir e apoiar o povo inocente da Armênia, além de aumentar a conscientização internacional sobre os brutais ataques do Azerbaijão. “Instamos a comunidade internacional a se opor à agressão do Azerbaijão em um momento em que todos os governos do mundo estão tentando proteger seus cidadãos do coronavírus. Em vez de superar a epidemia juntos, o governo do Azerbaijão está violando a paz na região, criando instabilidade”, disse o comunicado.

Todas as informações foram retiradas de comunicados oficiais do governo da Armênia para a diáspora. Para mais notícias confiáveis sobre os ataques em Tavush acompanhe os sites oficiais do Governo da Armênia:

Acompanhe também a tradução de diversas notícias sobre o conflito na região para diversos idiomas (incluindo português) em: Conflict News Translation from Armenia

Deixe um comentário