Home Da Redação Parlamentares armênios trocam socos em meio a discussão de benefícios

Parlamentares armênios trocam socos em meio a discussão de benefícios

0
0

RadioFreeEurope

Parlamentares armênios de partidos opostos trocaram socos em meio a um desacordo sobre a resposta econômica do governo à crise do coronavírus.

Durante um debate na última sexta, dia 8 de maio, Edmon Marukian, líder do partido de oposição Bright Armenia, acusou o partido no poder My Step, leal ao primeiro-ministro Nikol Pashinyan, de não ajudar os cidadãos comuns em meio à paralisação econômica. A oposição pediu pagamentos em dinheiro maiores aos cidadãos.

As críticas de Marukian provocaram comentários agressivos dos legisladores do My Step, incluindo Sasun Mikaelian. Desagradado com o que ouviu, Marukian desceu do pódio no meio do discurso e se aproximou de Mikaelian, que se levantou de seu assento. Os dois se enfrentaram antes de serem interrompidos por outros membros do parlamento.

“Não importa o quão forte você me bata, eu continuarei falando”, afirmou Marukian quando voltou ao pódio. “A revolução [de 2018] ocorreu também para estabelecer uma cultura de debate aqui neste parlamento”, disse ele, referindo-se aos eventos que levaram Pashinyan ao poder dois anos atrás.

O presidente do Parlamento, Ararat Mirzoyan, que procurava diminuir a tensão na câmara, logo interrompeu o discurso de Marukian para anunciar uma pausa. Mais tarde Pashinyan condenou a briga, mas culpou o parlamentar da oposição por ter escolhido a briga. O primeiro ministro alegou que a decisão de Marukian de descer do pódio indicava que ele pretendia lutar.

“Depois de assistir ao vídeo do incidente, não posso deixar de descrever o que aconteceu como uma provocação infeliz”, disse Pashinyan. No entanto, Pashinyan também lamentou que os membros de seu partido “cedessem a provocações”.

Assista abaixo:

Propagação do covid-19

Até o momento, a Armênia tem mais de 3.500 casos registrados de COVID-19, 47 mortes e 1.400 recuperados. O governo impôs um bloqueio nacional no final de março.

O governo armênio aprovou mais de uma dúzia de medidas para apoiar empresas domésticas e indivíduos afetados pela pandemia. A assistência inclui, entre outras coisas, empréstimos bancários subsidiados pelo governo a empresas e empreendedores individuais; pequenos pagamentos únicos a grupos socialmente vulneráveis; e subsídios parciais para contas de serviços públicos e outros. A principal critica ao governo é que trabalhadores informais (que não possuem contrato de trabalho) que também sofreram impacto na sua renda não são beneficiados por essas medidas.

Mikaelian não foi o único membro do My Step que expressou raiva contra Marukian durante o debate de 8 de maio. Babken Tunian acusou o líder da Bright Armênia de entregar seu número de celular a cidadãos descontentes com a resposta econômica do governo ao coronavírus. Tunian disse que foi inundado por telefonemas.

Marukian disse que o Tunian divulgou seu número pessoal ao público depois que ele duvidou do número de pessoas insatisfeitas com o governo. “Quando dizemos que as pessoas nos ligam e fazem perguntas [sobre a assistência do governo], você arrogantemente nos acusa de contar mentiras, alega que ninguém nos liga”, disse Marukian.

Deixe um comentário