Home Genocídio Armênio Historiador turco lança arquivo digital documentando Genocídio Armênio

Historiador turco lança arquivo digital documentando Genocídio Armênio

 Ahvalnews

Em dezembro de 2018 o historiador turco Taner Akçam, professor de estudos de Genocídio Armênio na Clark University em Massachusetts, que já foi citado aqui, lançou um arquivo digital de evidências coletadas por um sobrevivente de genocídio armênio que documenta as atrocidades de 1915.

Akçam e os professores de Estudos de Genocídio Armênio no Centro Strassler de Holocausto e estudos de Genocidio da Universidade Clark, trabalharam com especialistas turcos e estudantes de pós-graduação em um repositório digital composto pela coleção de sobreviventes de genocídio armênio de 1915 e pela coleção de Krikor Guerguerian , em que ele viajou o mundo para coletar evidências.

A Turquia nunca reconheceu oficialmente que os eventos que levaram à morte de 1,5 milhões de armênios a partir de 1915 constituiam um genocídio, embora muitos outros países o façam.

O Arquivo Krikor Guerguerian contém milhares de documentos otomanos originais e escritos não publicados de Guerguerian, incluindo as memórias manuscritas de Naim Bey, um burocrata otomano posicionado em Aleppo que participou ativamente da deportação e massacres de armênios e documentos do Patriarcado Armênio de Jerusalém contendo informações em primeira mão sobre o Genocídio Armênio.

Telegramas cifrados enviados pelo ministro do Interior otomano Talat Pasha, visto por muitos como o principal arquiteto do genocídio armênio, além de comandantes do exército e o chefe do paramilitar do governo para governadores em todo o Império estão entre os materiais mais notáveis ​​do arquivo .

“O acesso a esses materiais tem o potencial de mudar discursos acadêmicos e políticos, além de destruir a negação turca”, escreveu o professor Akçam, enfatizando que ele vê como seu dever tornar as ‘evidências acessíveis para o mundo ver’. ”

Akçam, de 65 anos, é amplamente respeitado e criticado como um dos primeiros acadêmicos turcos a reconhecer e discutir abertamente os eventos de 1915 como genocídio cometido pelo governo turco otomano.

Deixe um comentário