Home Da Redação 38 deputados assinam documento em defesa de Kocharian e Rússia se declara “preocupada”

38 deputados assinam documento em defesa de Kocharian e Rússia se declara “preocupada”

0

RadioFreeEurope, News.am

Sergei Lavrov

O ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse que Moscou está “preocupada” com o fato de a nova liderança da Armênia estar fazendo o que chamou de “movimentos politicamente motivados” contra ex-líderes que foram alvo de uma campanha anticorrupção.

As declarações de Lavrov, em 31 de julho, foram feitas depois que o ex-presidente armênio Robert Kocharian foi acusado de derrubar violentamente os protestos contra seu sucessor em 2008.

Kocharian, que foi presidente de 1998 a 2008, foi preso em 27 de julho após ser acusado pela dispersão dos manifestantes da oposição após a disputada eleição presidencial de 2008.

No mesmo dia, Yuri Khachaturov, chefe armênio da Organização do Tratado de Segurança Coletiva, dominada pela Rússia, foi acusado, assim como Kocharian, de derrubar a ordem constitucional da Armênia em conexão com a morte de 10 manifestantes em 2008. Khachaturov e Kocharian negaram as acusações e alegaram que são politicamente motivadas.

Robert Kocharian, ex-presidente

“Os acontecimentos dos últimos dias … contradizem as recentes declarações da nova liderança armênia de que não planejava perseguir seus antecessores por motivos políticos”, disse Lavrov. “Moscou, como aliado de Yerevan, sempre teve interesse na estabilidade do Estado armênio e, portanto, o que está acontecendo ali deve ser motivo de preocupação para nós”.

Lavrov disse que seu ministério levantou suas preocupações com a liderança armênia e espera uma resposta “construtiva”.

Ao mesmo tempo, 38 legisladores uniram-se em uma campanha de assinatura para comutar a decisão do tribunal sobre a prisão do segundo presidente da Armênia.

Os signatários incluem o Presidente da Assembleia Nacional (NA), Ara Babloyan, e os vice oradores Arpine Hovhannisyan e Eduard Sharmazanov – todos membros do ex-Partido Republicano da Armênia (RPA).

O comentário de Lavrov parece ser a primeira repreensão do Kremlin ao primeiro-ministro Nikol Pashinian desde que chegou ao poder em maio, após as principais semanas de protestos de rua contra o governo anterior. Ao contrário dos líderes de movimentos populares anteriores na Geórgia e na Ucrânia, Pashinian diz que quer manter boas relações com Moscou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *