Home Da Redação Púlblico compareceu em peso nos 99 anos da Independência da Armênia

Púlblico compareceu em peso nos 99 anos da Independência da Armênia

0

O Comitê Tro do Tashnagtsutiun de São Paulo, a SAMA – Clube Armênio e o Hamazkayin Brasil uniram esforços para comemorar o 99º aniversário do 28 de maio de 1918 com um grande churrasco popular que contou com a presença de mais de 200 pessoas. Todos se reuniram para prestar homenagem aos heróis da épica vitória de 1918.

O evento cívico começou após o churrasco com o hasteamento das bandeiras do Brasil, Armênia e Artsakh, realizados por jovens Sarkis Ampar Sarkissian (SAMA), Renan Hagop Heghenian (Tashnagtsutiun) e Anais Kherlakian Zadikian (Hamazkayin) que entraram ao som dos hinos nacionais.

A comemoração foi aberta pelo enguer Nigol Nigoghosian, presidente do Clube Armênio, que saudou o público em nome da comissão organizadora.

Nigol também agradeceu as presenças do Primaz da Igreja Apostólica Armênia do Brasil, Nareg Berberian, dos arcíprestes Der Yeznig Guzelian (Igreja São Jorge – SP) e Der Boghos Baronian (S. João Batista – Osasco), a Representante do Comitê Central da América do Sul do Tashnagtsutiun, engueruhi Anahid Bogiatzian, a presidente do Hamazkayin Brasil, engueruhi Takuhí Sarkissian, o presidente da comunidade armênia de Osasco Ronaldo Vasilian, o presidente da União Geral Armênia de Beneficência, Haig Apovian, a representante da filial HOM-Arpi de São Paulo, Helen Donelian, e o Presidente do Conselho Deliberativo do clube, enguer Girair Mahseredjian.

O bispo Nareg Berberian exaltou o espírito de unidade que levou os armênios ao 28 de maio de 1918. Ele disse que as batalhas Gharakilissé, Pash-Aparan e Sardarapad, com a sua marca popular e nacional, foram muito importantes para a Igreja Apostólica Armênia com sua valiosa contribuição convocando todas as pessoas a fazer parte da construção desta importante página da história milenar armênia.

A mensagem central da celebração do evento foi transmitida pelo líder do Tashnagtsutiun no Brasil, enguer Onnig Tamdjian que convocou todos a refletir sobre o significado da liberdade, quando foi conquistada depois de uma tragédia. Ele lembrou que a República de 1918 é a reconquista da força, da garra e da esperança (assista abaixo).

“O ato heroico de 28 de maio de 1918 deve ser contado para as as novas gerações, para que entendam a importância da luta como uma expressão da existência de uma nação”. No final de sua mensagem, ele convocou todos a se prepararem para celebrar com grande brilho em 28 de Maio de 2018, o centenário da Independência da República da Armênia.

A comemoração contou também com a presença significativa do Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá, autor da primeira lei de reconhecimento do Genocídio Armênio no Brasil.

A parte artística foi o auge do evento, com o repertório musical apresentado pelo Coral Vahakn Minassian do Clube Armênio, sob a regência do Maestro Alexey Kurkdjian que surpreendeu a todos, convidando aqueles que outrora eram membros do coro ao palco para juntos entoarem o tradicional Yerevan-Erepuní.

Finalmente, o Grupo de Danças Típicas Armênia “Kilikia”, composto por jovens do Hamazkayin, entusiasmou o público com uma coreografia vibrante, cheia de alegria para um 28 de Maio glorioso e popular. As danças folclóricas armênias emocionaram o público e foram a mostra do futuro promissor do grupo.

Armen Kevork Pamboukdjian Editor-chefe e redator do Estação Armênia. Nascido na capital Paulista, é formado em jornalismo pela Universidade Nove de Julho, em skate pela faculdade das ruas e em causa armênia pela universidade da luta e resistência.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *