Home Da Redação Associadas da HOM visitaram Artsakh em apoio aos soldados armênios
0

Associadas da HOM visitaram Artsakh em apoio aos soldados armênios

0

Colaboração de Virginia Ganatchian.

A Armenian Relief Society (sob o nome de HOM no Brasil) continua a apoiar os soldados armênios, especialmente aos que guardam a fronteira. Em 20 de agosto, associadas da ARS visitaram Artsakh.  A Armenian Relief Society mantém-se fiel ao seu lema, isto é, “com o meu povo, para o meu povo“.

Hoje, a ARS reúne cerca de 15.000 dedicadas mulheres armênias em mais de 20 países. Ela serve como uma das bem-sucedidas e maiores organizações de caridade realizando a sua importante missão. No último dia 20 de agosto, suas associadas comprometeram-se com outra iniciativa e empreenderam uma viagem para Artsakh.

Veja abaixo:

Antes de alcançar as posições que fazem fronteira, a primeira parada foi em Karvatchar onde os membros depositaram flores junto a placa dedicada à memória do herói de Artsakh, vice comandante do batalhão especial de Shushi, Petros Ghevondyan.

A parada seguinte foi na unidade militar da área de defesa onde se encontraram com o comandante da unidade militar e discutiram as ações e objetivos atuais. Depois da reunião, os membros se juntaram aos soldados e comandantes prestando tributo diante do busto de Shahen Meghryan, guardando viva a memória de um dos primeiros lutadores da guerra de Artsakh.

sem-titulo

De acordo com a presidente da Comissão Regional da ARS da Armênia, Diana Hovsepyan, na luta da nação armênia, não é necessário que todos os armênios tomem armas em suas mãos, mas é importante que todos os armênios estejam ao lado daqueles que pegam em armas, uma vez que é também uma forma de participar da luta.

Hovsepyan acrescentou que o apoio é também uma missão honrosa.

Por sua vez, a ARS de Artsakh tem um programa especial, que vem realizando desde 2012, chamado “Visita a um Guardião de Fronteira”.

No segundo dia da viagem, os membros ARS visitaram outra unidade militar onde

lhes foram apresentadas as atividades diárias dos soldados e questões atuais.

A viagem para Artsakh terminou com uma cerimônia de iluminação com velas no monastério Dadivank.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *