Home Da Redação WikiLeaks libera 300 mil emails emitidos pelo governo turco como resposta à purgação pós-golpe de Erdogan

WikiLeaks libera 300 mil emails emitidos pelo governo turco como resposta à purgação pós-golpe de Erdogan

Wikileaks, a organização transnacional sem fins lucrativos, liberou cerca de 300.000 e-mails do servidor interno do partido líder e do qual o presidente faz parte, AKP, com diversos arquivos anexados.

Logo após a tentativa de golpe na Turquia que teve início na última sexta-feira (15), Erdogan começou uma caça às bruxas no país para tentar achar os culpados, incluindo militares, servidores públicos e ministros e membros do poder judiciário.

Após o vazamento dos conteúdos pelo Wikileaks, Erdogan ordenou que o site fosse bloqueado em todo o país.


Via RT

Tradução: Maria Carolina Chaves Indjaian


Apesar de um ciberataque massivo em seu site, o WikiLeaks publicou o primeiro lote de cerca de 300.000 e-mails do servidor interno do partido líder AKP e milhares de arquivos anexados em resposta a generalizada expurgação pelo governo de Ancara pós-golpe.

Alguns 294,548 e-mails relativos ao Partido da Justiça e Desenvolvimento do presidente turco Recep Tayyip Erdogan (AKP) foram divulgados na terça-feira, às 11:00 horas, horário de Ancara.

“WikiLeaks tem avançado sua programação de publicação em resposta a expurgos pós-golpe do governo”, WikiLeaks disse no comunicado.

Sem título
charge com o nome do partido AKP destruindo a democracia na Turquia

“Nós verificamos o material e a fonte, que não está ligado, de alguma forma, aos elementos por trás da tentativa de golpe, ou a um partido político rival ou estadual”, acrescentou o site de denúncias, que tem insistido anteriormente que não é nem pró nem anti-governo , mas sim serve “a verdade”.

WikiLeaks diz que a liberação de quase 300.000 corpos de e-mail, juntamente com vários milhares de arquivos anexados, é apenas uma parte da série e abrange 762 caixas de correio que começam com ‘A ‘ a ‘ I’.

Sem título2
1) Wikileaks brinca que vai publicar em breve 300k e-mails da liderança política da Turquia

Todos os e-mails são atribuídos a “akparti.org.tr”, o domínio primário da principal força política do país, e abrange um período a partir de 2010 até 06 de julho de 2016, apenas uma semana antes do golpe militar fracassado.”

Deve-se notar que e-mails associados ao domínio são usados principalmente para lidar com o mundo, ao contrário dos assuntos internos mais sensíveis”, disse a organização sem fins lucrativos.

A ONG revelou também que um dos e-mails continham um banco de dados Excel dos números de telefone celular dos deputados do AKP.

Sem título3
lista liberada pelo Wikileaks com os números de telefone dos membros do partido

Antes do lançamento, WikiLeaks sofreu um “ataque sustentado”, como advertiu que as entidades governamentais turcas podem tentar interferir com a publicação do material AKP.

Os ataques ainda estão em andamento e os usuários estão enfrentando dificuldades de acesso ao material. WikiLeaks tranquilizou o público que eles estão “vencer” a batalha.

Sem título4
Sim nós estamos sob mais ataques cibernéticos, o qual iremos ganhar. Parece que ganhamos a nossa guerra cibernética de 24h. Os emails do AKP parte 1 serão lierados iminentemente.

Poucas horas após o lançamento, o WikiLeaks twittou uma imagem que mostra o banco de dados a ser bloqueado na Turquia, alegando que Ancara “ordenou – a liberação – a ser bloqueado em todo o país”.

Sem título5
WikiLeaks condenado a ser bloqueado todo o país da Turquia depois de lançar 300 mil e-mails do partido de Erdogan, AKP.

Anteriormente, a organização sem fins lucrativos também pediu ao público para apoiar o seu esforço para compartilhar a informação.

“Pedimos que turcos estão prontos com os sistemas de censura ignorando tais como TorBrowser e uTorrent. E que todo mundo está pronto para ajudá-los a contornar a censura e empurre nossos links com a censura por vir”, WikiLeaks twittou segunda-feira.

O grupo de hacktivistas Anonymous lançou uma declaração de apoio a mais recente exposição Wikileaks de arquivos do AKP, dizendo que “suspeitava” que o Governo turco estaria por trás dos ataques mais recentes Wikileaks DDoS.

“A oposição deve sempre ter uma voz e o livre fluxo de informações devem ser incentivados. Wikileaks tenha sofrido ataques DDoS depois de anunciar que vai lançar e-mails (300.000), docs (500.000) do Governo turco, e nós suspeitamos que o governo turco vai tentar censurar qualquer informação que o Wikileaks vai liberar.”

Sem título6
Declaração do Anonymous pedindo apoio ao Wikileaks

“Pedimos as pessoas na Turquia que se interessem no material que Wikileaks está prestes a lançar e não rejeite-o porque um líder lhes disse. Nós defendemos o uso de ferramentas anti-censura como Tor, I2P ou VPN. Faremos o nosso melhor para traduzir esses e-mails e documentos para a comunidade internacional ler e proporcionar uma melhor compreensão da situação em curso na Turquia”, o conglomerado hacktivist acrescentou.

O governo da Turquia continua a sua perseguição massiva após uma fracassada tentativa de golpe durante o qual mais de 200 pessoas perderam suas vidas como frações das forças armadas tentaram tomar o controle de vários locais-chave nas cidades de Ancara e Istambul. Mais de 1.400 ficaram feridas ao longo de confrontos armados.

Na sequência do golpe fracassado, milhares foram detidos ou perderam seus postos em todos os setores do sistema judicial, militares, Ministério do Interior e do serviço público. Presidente Erdogan e seu governo culpa o clérigo Fethullah Gulen com sede nos EUA por orquestrar a tentativa de golpe.

 

Maria Carolina Chaves Indjaian Colaboradora. Carioca da gema que viveu em Curitiba desde criança e agora é cidadã do mundo. É advogada, aficcionada por Direitos Humanos e defensora de minorias. O coração e o sangue sempre falam mais alto no que diz respeito à Armênia.