Home Da Redação Garo Paylan: “Este é um ataque contra mim e à minha identidade”

Garo Paylan: “Este é um ataque contra mim e à minha identidade”

Via Armenian Weekly – Tradução: Maria Carolina Chaves Indjaian.

Antes da aprovação pela comissão parlamentar turca de um projeto de lei que altera a imunidade dos parlamentares, uma luta física eclodiu em 02 de maio entre os membros do Partido Democrático dos Povos (HDP) e o governante Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP). O parlamentar de origem armênia pelo HDP, Garo Paylan, foi alvejado no ataque, tanto física como através de discurso de ódio.

Paylan qualificou o ataque como uma campanha de “linchamento” premeditado, em um comunicado à imprensa em 03 de maio. Essa foi a segunda luta no Parlamentos nas últimas semanas.

O projeto de lei almeja alterar a imunidade dos deputados que atualmente estão enfrentando investigações. De acordo com o HDP, o projeto de lei de imunidade foi redigido e aprovado especificamente com o objetivo de atacá-los e de suprimir a oposição do regime que esta poder.

O projeto vai ser debatido na Assembleia Geral do Parlamento e depois votado a fim de ser posto em prática. A Reuters citou o membro do AKP, Bulent Turan, dizendo que o vigente AKP deseja que o debate parlamentar inicie em 16 de maio, e então a votação terá lugar até o dia 18 de maio.

Membros do parlamento trocaram socos, chutes e jogaram objetos uns nos outros em 02 de maio, levando os membros do HDP a se retirarem da Câmara.

“Hoje, as agências de notícias espalharam informações de que fui eu que ‘coloquei óleo no fogo’ e ‘deflagrei’ a luta. Eles estão retratando os parlamentares do HDP como a causa da violência física e estão distorcendo a verdade”, disse Paylan no comunicado.

“Como é evidente no vídeo, o membro do AKP de Istambul, Mehmet Metiner, me atacou, depois uma briga estourou e o linchamento premeditado começou” Paylan disse.

“Eu condeno esse discurso de ódio e crime de ódio que foi direcionado à mim e à minha identidade” ele adicionou.

Paylan disse que ele foi pessoalmente atacado pelos membros do AKP, depois que ele rejeitou as alegações do ministro da justiça da Turquia, de que o HDP tinha iniciado uma briga no parlamento em 28 de abril. Paylan também disse que achava que o ataque aos membros do HDP foi planejado com antecedência e o fato de que ele tenha origem armênia fez dele um alvo.

“Durante o ataque, membros do AKP apontaram para mim e gritaram ‘Venha, Garo está aqui’ e salientaram minha herança armênia, gritando insultos de ódio dirigidos à mim”, Paylan disse no comunicado à imprensa, seguido da luta, adicionando que “os fascistas estão assustados e irão atacar insidiosamente apenas em grupos”.

Na declaração após o ataque, o Comitê Nacional Armênio da América (ANCA) disse que repetidamente e sem sucesso pediu ao Governo dos Estados Unidos para que condenem a perseguição política e ameaças dirigidas contra o Editor do Jornal Agos, Hrant Dink, antes de seu assassinato em 2007. “Apesar de todos os nossos esforços e dos fatos claros sobre o chão, o departamento de Estado dos Estados Unidos e a Casa Branca não conseguiram encontrar seu caminho para proferir sequer uma palavra pública em sua defesa. Uma expressão de preocupação. Uma palavra em seu nome. Isto é, até a sua morte”, disse o Diretor Executivo do Comitê Nacional Armênio da América (ANCA), Aram Hampariam, em um comunicado.

“Deixe-nos trabalhar para assegurar que o mesmo destino não aconteça à Garo Paylan – um homem que fala verdades e pacificador que merece o apoio, não o silêncio dos representantes eleitos do povo americano” disse Hamparian.

Abaixo o vídeo que mostra o momento do ataque no parlamento:

Maria Carolina Chaves Indjaian Colaboradora. Carioca da gema que viveu em Curitiba desde criança e agora é cidadã do mundo. É advogada, profissional humanitária aficcionada por Direitos Humanos e defensora de minorias. O coração e o sangue sempre falam mais alto no que diz respeito à Armênia.

Deixe um comentário