Home Da Redação Brazil’IAN, homenagem do Maestro Alexey Kurkdjian ao centenário do Genocídio Armênio

Brazil’IAN, homenagem do Maestro Alexey Kurkdjian ao centenário do Genocídio Armênio

O músico Alexey Kurkdjian, maestro do Coral Vahakn Minassian do SAMA – Clube Armênio, multi-instrumentista e descendente de armênios, tornou pública sua obra intitulada “Brazil’IAN – Em Honra ao Centenário do Genocídio Armênio.

Brazil’IAN foi composta em honra aos Mártires Armênios, como parte das homenagens no ano do centenário do Genocídio. A peça foi encomendada pelo “FIRSC – Festival Internacional de Regência Sergio Chnee” e teve sua estreia pela Orquestra de Câmara de Santana do Parnaíba, sob a direção de Gabriel Dias Garcia.

Assista abaixo:


Vídeo por: Laira Dalileia.

O nome da peça é uma mistura da palavra “brasileiro” com o sufixo “ian”, muito característico e encontrado no final dos sobrenomes armênios, como no nome do compositor, que é nascido no Brasil descendente de família armênia. Na primeira parte é possível ouvir uma melodia que evoca levemente o Duduk (um instrumento de sopro típico armênio). Algumas das escalas exóticas ao estilo do oriente médio podem ser ouvidas no desenvolvimento da peça.

Enquanto isso, as idéias musicais mais orientadas pelo estilo ocidental são mostrados em contraponto com o tema do Duduk, levando a uma lamentação. Em seguida, os estilos do ocidente se unem aos do oriente médio, mostrando o tema acompanhado de um baixo rítmico muito usado nas danças armênias, levando todos os elementos para a parte final. Na última parte, o compositor evoca sentimentos otimistas, deixando claro que, apesar de o povo armênio ter passado por um momento crucial e difícil em sua história, ele continua a existir e a lutar pelo reconhecimento do genocídio em todo o mundo, mantendo vivos os seus costumes e sua rica cultura! O compositor gostaria de agradecer a todos os colegas que se esforçaram para tornar possível essa apresentação.

Clique aqui e saiba mais sobre o Maestro Alexey Kurkdjian e todos os seus projetos, em entrevista concedida recentemente ao Portal Estação Armênia.

Deixe um comentário