Home Eurovision Eurovision: Austrália fecha time da diáspora
0

Eurovision: Austrália fecha time da diáspora

0

B91bi96CYAAFiw8 (1)Para a 60ª edição do Eurovision a AMPTV (emissora armênia filiada ao Eurovision) anunciou que o representante armênio no ano do centenário será o grupo Genealogy (em português, genealogia, a ciência que estuda as origens) que ainda não está formado. O grupo, ainda virtual, será formado por um representante armênio de cada continente do país mais um que resida na Armênia. Para completar o cenário, a disposição do grupo no palco formará o desenho da flor miosótis (não-me-esqueças), símbolo do centenário do Genocídio Armênio, com o integrante armênio no centro e os outros cinco ao redor nas pétalas.

Mary-Jean O’Doherty Vasmatzian é a quinta integrante confirmada da banda Genealogy. Ela vai representar a Austrália no projeto.

nealoVoz clara e cristalina de Mary-Jean de soprano coloratura já encheu muitas óperas famosas. Foi por causa da educação armênia de sua mãe que Mary-Jean foi encorajada a estudar dança, flauta e canto. Orgulhosa de suas raízes armênias, ela foi inspirada pelo compositor armênio, cantor, musicólogo e sacerdote Komitas.

Mary-Jean O’Doherty Vasmatzian nasceu em Houston, Texas, com uma mãe armênia-grega e um pai australiano. Tendo estudado na North Carolina School of the Arts e na East Carolina University, Mary-Jean recebeu seu diploma de Bacharel em Música em Voz e Flauta bem como Bacharel de Artes em Psicologia em 2005.

Estudou cantando em Sydney com Arax Mansourian em 2008, Mary-Jean O’Doherty foi a primeira a receber o Prêmio Internacional Opera australiano para estudar na Academia Internacional de Voz de Cardiff, dirigida pelo tenor internacional Dennis O’Neill.

Em 2010, Mary-Jean desempenhou o papel de Náiade e cobriu o papel de Zerbinetta em Ariadne auf Naxos para a Ópera Nacional de Gales e, um ano mais tarde, ela interpretou o papel título de Lucia na produção da Prague State Opera de Lucia di Lammermoor. Ela estreou no Royal Albert Hall, em Londres, em 2011, cantando em um concerto clássico espetacular de Raymond Gubbay e em 2012 fez uma residência artística no Teatro da Ópera de St. Louis.

Em 2013, Mary-Jean ganhou seu primeiro prêmio na Paris Opera Awards. Ela ganhou o prêmio Mathy, e cantou no concerto final com o Orquestra de Ópera e Ballet Australiana dirigida pelo maestro Richard Bonynge.

Assista ao vídeo de anúncio da nova integrante:

Mary-Jean O’Doherty cantando Der Hölle Rache por Mozart

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *