Home Da Redação Estudantes de Toronto dão as costas à negacionistas do Genocídio Armênio em evento

Estudantes de Toronto dão as costas à negacionistas do Genocídio Armênio em evento

0

Fonte: ArmenianWeekly

DSC_6753No dia 27 de fevereiro, a juventude armênia realizou um protesto silencioso na palestra intitulada “- Centenário do sofrimento humano da Primeira Guerra Mundial na Anatolia Oriental  – apresentada pelos conhecidos negacionistas do Genocídio Armênio Justin McCarthy e Bruce Fein. 

A palestra aconteceu no campus St. George da Universidade de Toronto (UoftT) do Canadá, e foi organizada pela Federação das associações turcas canadense.

Já o protesto foi organizado pela Federação da Juventude Armênia do Canadá (AYF Canadá), em colaboração com a Associação de Estudantes armênios (ASA) da UofT (St. George e campi Scarborough), além da Armen Karo Student Association.

Mais de 70 ativistas de direitos humanos da comunidade universitária, que formavam a maioria dos presentes, realizou o protesto silencioso virando as costas para os palestrantes.

Os manifestantes aguardaram os palestrantes darem suas considerações iniciais sobre o tema e quando se tornou aparente e clara a negação do Genocídio Armênio, o grupo ficou de pé e deu as costas aos palestrantes (veja no vídeo abaixo).

Vários insultos raciais e comentários discriminatórios foram dirigidos contra os manifestantes, mas eles continuaram em silêncio.

Os organizadores interromperam brevemente a palestra, mas a segurança da universidade deixou claro que a forma de protesto não atrapalhava o andamento do evento, e os negacionistas foram convidados a continuar.

DSC_6794Os manifestantes continuaram de pé e de costas até que fizeram uma saída organizada, deixando os restantes vinte ou mais participantes que não estavam protestando na sala.

Em seguida, os manifestantes marcharam para o escritório da Diversidade Cultural e Anti-Racismo da universidade para exprimir a sua preocupação em relação ao evento, e para entregar uma petição com mais de 2.000 assinaturas denunciando o evento e exigindo que a universidade se distancie dos organizadores e palestrantes. O grupo já havia enviado para a universidade uma carta assinada por acadêmicos, grupos de direitos humanos e associações de estudantes exigindo que o evento fosse cancelado.

McCarthy, que anteriormente se afastou da Universidade de Melbourne e da Galeria de Arte de New South Wales, em 2013, é considerado um porta-voz do Estado turco e responsável por espalhar a negação do Genocídio Armênio. Fein trabalha para a Coalizão turca da América (TCA) como estudioso residente.

DSC_6772

O presidente da AYF – Canadá Daron Keskinian disse que era “extremamente preocupante” que tal evento ocorresse no UofT: “Como vimos hoje, a Universidade de Toronto deve distanciar-se deste evento imediatamente. Os organizadores da palestra têm usado o local para trazer legitimidade ao seu evento, e tem sido dada carta branca para apresentar a sua propaganda de negação às custas da reputação da universidade “, disse Keskinian.

O ASA da UofT divulgou um comunicado ressaltando que o evento deve ser desconcertante para a comunidade universitária em geral.

“No interesse de manter sua integridade e fazer as reparações para este evento que ocorre no campus, o Gabinete do Presidente da Universidade de Toronto irá publicar uma declaração indicando que eles se distanciam do evento. O Genocídio Armênio é ensinado nesta instituição e a Universidade de Toronto não deve fornecer pódios para aqueles que estão buscando legitimar a sua negação do primeiro genocídio do século XX “, dizia o comunicado.

2015 marca o 100º aniversário do Genocídio Armênio e está sendo rememorado em todo o mundo por inúmeras organizações e governos. Em 2004, o Parlamento do Canadá aprovou uma resolução reconhecendo o Genocídio Armênio e condenando-o como um crime contra a humanidade.

Fundada em 1934, a Federação Jovem Armênia do Canadá é a maior e mais influente organização juvenil armênio-canadense que trabalha para aumentar a consciência social, política, educação e cultura entre os jovens armênio-canadenses.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *