Home Tudo Candidatos à presidência do Peñarol também rejeitam patrocínio do Azerbaijão

Candidatos à presidência do Peñarol também rejeitam patrocínio do Azerbaijão

Tradução: Adriana Nazeli Topalian

**Eleição aconteceu neste sábado, 13 de dezembro.

 

Candidatos-elecciones-PeñarolEm entrevista com o Conselho de Causa Armênia do Uruguai, o atual presidente do Clube Atlético Peñarol , e candidato à reeleição, Juan Pedro Damiani, assim como os outros candidatos Marcelo Areco, Ricardo Rachetti, Ignácio Ruglio, e Edgar Welker anunciaram que, caso ganhem a presidência do clube, rechaçariam firmemente uma proposta de patrocínio de Azerbaijão.

Em junho de 2014 o jornal El Observador publicou a noticia da visita de uma delegação de Azerbaijão ao Clube Atlético Peñarol, o que alimentou os boatos de uma proposta de patrocínio ao Clube.

Alguns dias depois a Agência Prensa Armênia  informou que representantes de Azerbaijão -patrocinador do Atlético de Madri- teria oferecido um contrato milionário de patrocínio ao San Lorenzo de Almagro, que incluía entre suas condições que pessoas de origem armênia não poderiam ocupar cargos na diretoria do Clube, o qual foi rejeitado na hora pelo seu presidente Matías Lammens.

Meses depois, em outubro, o jornalista Walter Safarian informou que uma proposta similar à que Azerbaijão apresentou a San Lorenzo de Almagro teria sido enviada ao Clube Atlético Peñarol.

Neste sábado 13 de dezembro o Clube Atlético Peñarol convoca aos seus associados para a eleição da sua nova Comissão Diretiva, no marco de uma campanha muito competitiva e que tem recebido uma ampla cobertura da imprensa.

Embora os candidatos apresentassem diferenças durante a campanha eleitoral, todos coincidiram em que, caso cheguem à presidência, rejeitariam sem dúvidas uma proposta de patrocínio de Azerbaijão, por considerar que não podem existir cláusulas discriminatórias tão graves como as apresentadas por aquele país ao San Lorenzo.

A situação vem ganhando repercussão por conta de que várias das chapas que concorrem à presidência de Peñarol apresentam vários candidatos que integram a comunidade armênia.

O atual presidente da instituição e candidato à reeleição pela Lista 10, Juan Pedro Damiani foi enfático ao desmentir que tenha considerado em algum momento uma proposta destas características, e acrescentou que, caso lhe ofereceram uma proposta similar à de San Lorenzo “atuaríamos da mesma forma que San Lorenzo, não tenham dúvida disso”. Damiani acrescentou ainda: “chama atenção que o Atlético de Madri tenha este sponsor“.

Marcelo Areco, também candidato à presidência pelo Movimento 2809, qualificou de “lamentáveis e vergonhosas” as cláusulas impostas por Azerbaijão a San Lorenzo e assegurou que caso de ganhe a presidência de Peñarol não aceitaria uma proposta dessas características porque “o esporte é o esporte, mas em primeiro lugar está a convivência entre as pessoas”.

Ricardo Rachetti, candidato de Renovação Aurinegra, se questionou “como é possível que no século XXI alguém possa pretender apresentar uma proposta numa instituição como Peñarol discriminando por raça, religião, etc. Filosoficamente estou muito longe de posturas dessa natureza, as rechaço totalmente”. Rachetti qualificou de “barbárie” uma proposta que se proponha discriminar una pessoa pelo fato de ser armênio. Para concluir se comprometeu a que “caso seja o vice presidente do Clube e receba uma proposta dessas características não hesitaria e faria a denuncia correspondente”.

Ignacio Ruglio, candidato à presidência pelo Sentimento 1891, indicou que “sem importar o tamanho da organização que faz a oferta, ninguém pode impor condições de discriminação por raça ou religião. Peñarol é um clube de inclusão, nossa história tem nos marcado por ter toda a diversidade de credos, raças e classes sociais. Ninguém poderia fazer uma proposta assim, e ser aceita por nós“.

No mesmo sentido, Edgar Welker, atual vice presidente de Peñarol e candidato pela Lista 12, lembrou que “Peñarol é uma mistura de vontades, onde não há discriminação de qualquer tipo. Aceitar condições dessa natureza seria realmente lamentável”. Ao tempo que acrescentou que no seu caso “nem daria oportunidade para atender esse assunto”.

Após o rechaço de San Lorenzo de Almagro, e o compromisso firme que todos os candidatos à presidência de Peñarol expressam em contra do patrocínio de Azerbaijão, fica evidente que as possibilidades daquele país de legitimar sua política de discriminação contra o povo armênio, a través do patrocínio esportivo, cada vez acha menos sustentação na nossa região.

Finalmente, cada um dos candidatos avaliou a campanha eleitoral e dedicou una mensagem para os membros da comunidade armênia simpatizantes do Clube, cujo áudio está disponível ao final desta entrevista.

Clique aqui e ouça o áudio dos candidatos no site do Conselho de Causa Armênia do Uruguai.

Deixe um comentário