Home Informativo Armênia Informativo Armênia nº 14

Informativo Armênia nº 14

0

Informativo Armênia 2014

Informativo ARMÊNIA 2014
Ano XIV – nº 14
Agosto de 2014 

Para leitura das edições anteriores do Informativo Armênia, clique aqui.

ACONTECENDO

 

Esta edição de agosto, captando a “vida em seu dinamismo” – registra o que vem acontecendo de modo muito especial para a comunidade armênia: a chegada de novas autoridades, as homenagens a personalidades de destaque, realizações, conquistas, história, memórias e despedidas.

É o que você, leitor, partindo do Sumário inicial, ao acessar os respectivos anexos, tenha um encontro com esses acontecimentos, que espero lhe tragam satisfação ao tomar conhecimento, rememorar o que já vivenciou, e até mesmo estimulado a participar, a fazer acontecer.

Boa leitura,

Sossi Amiralian


EVENTOS

 

O Consulado Geral Honorário da República da Armênia em São Paulo ofereceu, em 7 de agosto de 2014, um coquetel de apresentação do novo Embaixador da República da Armênia para o Brasil Sua Excelência DR. ASHOT GALOYAN.

Sendo, na ocasião, condecorados com a Medalha de Ouro do Ministério da Diáspora da Armênia, o Presidente da Diretoria Executiva da Diocese da Igreja Apostólica do Brasil em São Paulo o PROF. DR. ANTRANIK MANISSADJIAN E o Magnífico Vice-Reitor da Universidade de São Paulo PROF. DR. VAHAN AGOPYAN.

No evento, foi feita a leitura dos currículos do novo Embaixador e dos respectivos homenageados. Os mesmos usaram da palavra, em seguida ao discurso da Exma. Cônsul Honorária da República da Armênia em São Paulo, SRA. HILDA DIROUHY BURMAYAN, sendo o apresentador do programa, MARDIROS BURUNSUZIAN, Assessor da Diretoria de Relações Institucionais da OAB SP.

O coquetel transcorreu num clima de amigável confraternização entre autoridades, representantes das entidades e membros da coletividade armênia.


PONTE JAGUARÉ HIRANT SANAZAR

 

unnamed-1Temos em mãos o “Diário da Região” de Osasco, de 9/10 de agosto de 2014, em cujas páginas 12 e 13, foi publicada matéria de grande interesse para  toda a Comunidade Armênia. Ela cobre amplamente o evento de 30 de julho passado, ocorrido na sede do Diário da Região, sob a direção de Vrejhi Sanazar. 

A Família Sanazar ofereceu um almoço de confraternização entre 60 personalidades, em homenagem ao primeiro prefeito de Osasco Hirant Sanazar e agradecimento ao vereador de São Paulo, Dr. Paulo Frange, “autor da propositura que há duas semanas culminou com a colocação das placas da nova denominação da ponte do Jaguaré, que agora passa a se chamar Ponte Jaguaré Hirant Sanazar”

A reportagem leva o título alusivo às “Homenagens mantém Hirant Sanazar ainda mais vivo na história”, com fotos do evento e personalidades presentes, da ponte com o novo nome, encimado pela foto do homenageado, bem como dos grupos envolvidos no projeto.

Constam da matéria a relação pormenorizada dos que marcaram presença e seus depoimentos sobre Hirant Sanazar, autor de significativas realizações em Osasco, relatados  em “Veja o que eles disseram”. Dentre eles, mencionamos os do Prefeito de Osasco Jorge Lapas; do Bispo de Osasco, Dom Frei João Bosco; Arcipreste Yeznig Guzelian, da Igreja Apostólica Armênia do Brasil em S.Paulo; Arcipreste Boghos Baronian, da Igreja Apostólica Armênia de Osasco; Vereador Josias da Juco; Advogado Elias Katudjan; Delegado Paulo Afonso Tucci; Ari Gudjenian, Ex-Presidente da Comunidade Armênia de Osasco, e demais ilustres. Em “Quem é Paulo Frange“, o perfil do Vereador. Em “Justificativa”, a sequência das iniciativas e realizações de Hirant Sanazar, bem como sua vida familiar. Em “Unanimidade”, a tramitação do projeto.  Em “A mensagem de Achoute Sanazar”,  um caloroso depoimento de irmão que tudo acompanhou.

Durante a homenagem, Vrejhi Sanazar, priorizando a amizade dos convidados, expressou seu desejo “Que todos os presentes, neste ato, se despissem dos seus cargos ou funções e fossem considerados como verdadeiros amigos de Hirant, ou amigos da família Sanazar”.

Deixamos aqui registrado nosso reconhecimento pela calorosa receptividade, já tão notória, da Sra. Janette Sanazar, esposa do saudoso Hirant, e nossos parabéns a toda família Sanazar, por mais esta vitória no rol de suas conquistas.

Sossi Amiralian (Informativo ARMÊNIA 2014)


NAMAG AR HAYASDAN’ “CARTA PARA A ARMÊNIA”

Captura de Tela 2014-08-15 às 11.01.52Quem não se lembra deste poema?

Declamado em meados de 1989, no Clube Armênio, pela própria autora ALÍCIA GHIRAGOSSIAN? Aplaudida longa e calorosamente pelo público em pé… Poema carregado de História e de anseio por volta às raízes. Apresentou-o com vigor e a dramaticidade com que seu texto a instigava. E o público se identificou e vibrou.

ALÍCIA deixou marcas. Em quem a ouviu, em quem a leu, em quem com ela conviveu. Foi em setembro de 1991 que a entrevistei em sua casa de Los Angeles, para completar a pesquisa sobre sua vida e sua obra. Tive, então, a oportunidade de conhecer de perto sua visão de vida e buscas étnicas e espirituais que se revelaram em sua poesia.

Voltou ao Brasil em 1993, para assistir minha defesa de tese de doutorado – “Alícia Ghiragossian: uma Armênia na América”, na USP, ocasião em que declamou o mesmo poema, em espanhol. Visitou também o Curso de Armênio da FFLCH, onde deu entrevista e uma aula de literatura para os estudantes da Faculdade de Letras.

AG  transformou em poesia suas inquietações sobre a vida, o amor, a maternidade, Deus, o Universo, a pátria, a História da Armênia – Karabagh – Artsakh – terremotos, natureza, numa linguagem de cunho filosófico e metafísico, que denominava de “Poesia Meta-dimensional”. Poesia de buscas, expressa em ritmo livre e modernista.

Nascida em Buenos Aires e tendo vivido em Los Angeles, visitou várias vezes a Armênia, escrevendo suas obras em três línguas: espanhol, inglês e armênio. Publicou cerca de 60 volumes, em poesia, prosa e algumas de teatro. 

Citemos algumas delas: “Un día, cinco voces”, “Poemas de la Maternidad”, “Ser y Punctuación”, Antología Poética”, “Pedro Amor”, “Carta para Argentina”

”Namag ar Hayasdan”, “Khorán”, “Khosduvanank”, “Artsakh”,

“Der Zor”,”Karabagh”

“To Be an Armenian”, “Beyond the Words – Roots”, Beyond the Words – Meditation on Solitude”, “Poetry and Meta-Dimension”, “Interview with God”, “Quantum”, “Love is the Code”.

ALÍCIA GHIRAGOSSIAN faleceu em Los Angeles, em 22 de maio deste ano, aos 78 anos de idade. Leia mais sobre ela, clicando no link a seguir: www.estacaoarmenia.com.br/4963

Sossi Amiralian


“OS CINCO DE LISBOA” 

 

Em 27 de julho de 1983, os jovens Ara Kuhrjulian, Sarkis Abrahamian, Setrak Ajamian, Simon Yahniyan e Vache Daghlian ficaram conhecidos como os The Lisbon Five”, ou “Os Cinco de Lisboa.  

Os cinco jovens saíram de Beirute (Líbano), onde residiam, com a missão de invadir a embaixada da Turquia em Lisboa (Portugal), em um ato para despertar a opinião pública mundial para a Questão Armênia e para o Genocídio Armênio, fatos pouco comentados à época. 

L5-2

Ao chegarem à embaixada, nem tudo saiu como planejado. 

Os esforços dos jovens para dominar o local foram frustrados, quando um dos meninos foi ferido e morreu. Os outros quatro, já cercados pelo Grupo de Operações Especiais da Polícia e pela imprensa portuguesa, decidiram explodir a bomba, ceifando apenas as suas próprias vidas, em nome da Armênia e de um milhão e meio de mártires armênios, vítimas dos turcos no que é conhecido como Genocídio Armênio

Uma mensagem entregue posteriormente ao escritório da The Associated Press em Lisboa, trazia o seguinte conteúdo: “Nós decidimos explodir o edifício e permanecer sob o colapso. Isto não é um suicídio, nem uma expressão da loucura, mas sim o nosso sacrifício para o altar da liberdade“.  

Ainda na carta, os jovens diziam que recorreram à luta armada, pois a busca pelo reconhecimento do genocídio armênio por meios pacíficos havia falhado, haja vista que a Turquia e seus aliados se recusavam (e ainda se recusam) a reconhecer o genocídio do povo armênio. 

Nos anos 1970 e 1980, era comum que as pessoas recorressem a atos violentos para atrair atenção ao seu discurso. Entretanto, para os armênios, a violência é e sempre foi o último recurso, ainda que o governo turco, ardentemente, continue negando o seu crime. 

Naqueles dias, a grande diferença era que o mundo todo parecia apático em relação à Causa Armênia, e a questão do Genocídio Armênio foi varrida e não figurava em fóruns diplomáticos internacionais ou de justiça e direitos humanos. 

Foi uma época muito frustrante para os armênios do mundo todo, devido a toda campanha de ódio racial contra os armênios, promovida pelo governo turco. O governo da Turquia também não tinha a mínima intenção de comprometer-se num diálogo sobre o genocídio.

A Turquia não negava e nem tocava no assunto genocídio, até os atos do A.S.A.L.A e do Lisbon 5…  

Atos como o dos jovens em Lisboa, assim como outros, ajudaram a “abrir os olhos” do mundo para as demanda dos armênios em relação ao genocídio.  Atualmente, diálogo e diplomacia são opções para a Turquia, se ela estiver disposta a acertar  suas contas com a história e com os armênios. 

Sarkis e Simon tinham 21 anos. Ara tinha 20. Setrak e Vatche tinham 19. Os jovens são lembrados pelos armênios no mundo todo pela doação de suas vidas à Questão Armênia.  

O seu sacrifício lançou as bases para o reconhecimento político mundial do Genocídio Armênio e os seus altos ideais continuam a inspirar-nos hoje. A memória deles estará eternamente em nossos corações durante toda essa busca pelo reconhecimento internacional deste crime contra a humanidade. 

Os restos mortais destes cinco herois armênios repousam no Cemitério Nacional Armênio, em Bourj Hammud (Beirute, Libano).

(Armen Pamboukdjian
é jornalista e editor-chefe do Portal Estação Armênia. Apresentou durante 4 anos o Programa Radiofônico Armênia Viva (rádio Trianon – SP)

Abaixo, veja um dos milhares de vídeos em homenagem aos 5 herois, na voz de Karnig Sarkissian:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *