Home Da Redação Erdogan reclama da oposição: "Eles disseram coisas ainda mais repulsivas: Chamaram-me de armênio!"

Erdogan reclama da oposição: "Eles disseram coisas ainda mais repulsivas: Chamaram-me de armênio!"

1

ISTAMBUL (Agence France Presse) – O primeiro-ministro turco e candidato a presidência da Turquia Recep Tayyip Erdogan usou de pesado linguajar racista em uma entrevista na televisão. Durante uma transmissão ao vivo no Canal privado NTV na última terça-feira Erdogan reclamou que a oposição faz uma campanha sistemática de difamação contra ele, colocando em dúvida sua origem étnica. “Chamaram-me de georgiano. Perdoe-me por dizer isso, mas eles disseram coisas ainda mais repulsivas: Chamaram-me de armênio“, disse Erdogan. “Até onde eu aprendi com meu pai e meu avô, eu sou um turco“, acrescentou.

Imagem1Seu comentário de que era repulsivo ser chamado de armênio atraiu a ira nas redes sociais, inflamando ainda mais as tensões dias antes da eleição presidencial de domingo, onde Erdogan é favorito para se tornar chefe de Estado. “Desculpe-me, mas por favor, vá se tornar presidente de outro país”, escreveu proeminente colunista turco-armênio Hayko Bagdat em uma resposta irritada a Erdogan.

Melda Onur, parlamentar do principal partido de oposição, o Partido Republicano do Povo (CHP), perguntou: “Existe algum grupo étnico que pudesse escapar do discurso de ódio de Erdogan?” Críticos acusaram Erdogan de fazer um jogo sectário com o tema étnico na corrida para as eleições presidenciais. “É repulsivo ser um armênio ou é uma vergonha? Por favor, explique agora!” Exigiu o âncora da CNN – Turquia , Nevsin Mengu, um dos mais respeitados do país. A minoria armênia na Turquia – os que restaram de uma comunidade muito maior que viveu durante o Império Otomano – totalizam hoje 70.000 pessoas efetivamente a maioria vivendo em Istambul. Eles muitas vezes se queixam de serem considerados cidadãos de segunda classe em um país onde ” ser armênio” é muitas vezes considerado uma maldição.

Comment(1)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *