Home Da Redação Visita de Bako Sahakian à Buenos Aires causa “dor de cabeça” no Embaixador do Azerbaijão na Argentina
0

Visita de Bako Sahakian à Buenos Aires causa “dor de cabeça” no Embaixador do Azerbaijão na Argentina

0

Do Ian.am, Diarioarmenia.org.ar e Miscelaneaarmenia.blogspot.com

O Presidente da República de Artsakh (Nagorno/Karabakh) Bako Sahakian desembarca na Argentina no próximo dia 26 de novembro acompanhado pelo Primaz da Diocese da Igreja Apostólica Armênia de Artsakh, o Arcebispo Pargev  Martirosyan. 

O presidente vem direto de Los Angeles, onde participa da campanha do Telethon local. Durante sua visita manterá contato com a comunidade afim de apoiar o projeto patrocinado pelo Fundo Armênia na Argentina. Em Buenos Aires, o Fundo Nacional Armênia será responsável pela coordenação da visita, durante a qual também prevê reuniões com os líderes institucionais e benfeitores locais, bem como uma recepção com caráter artístico-cultural de boas-vindas.

A visita do Presidente Sahakian à Argentina está causando preocupação ao Embaixador da República do Azerbaijão na Argentina, Mammad Ahmadzada. O Diplomata enviou uma carta aos presidentes das Câmaras de Senadores e Deputados da Argentina, Julio Cobos e Eduardo Fellner, respectivamente, para expressar sua preocupação sobre o encontro entre um grupo de parlamentares da Argentina e Bako Sahakian, presidente da República de Artsakh (Nagorno/Karabakh).

Na carta, o embaixador Ahmadzada lembrou que: “A avaliação do meu Governo para a posição do Governo da Argentina no que diz respeito ao apoio à soberania e integridade territorial do Azerbaijão,  foi indicado no protocolo sobre o estabelecimento de relações diplomáticas entre nossos países, assinado em 1992, e reafirmado no Memorando de Entendimento sobre consultas políticas assinado em 2010.

Além disso, o Embaixador ainda escreveu: “No contexto de diferentes ocasiões, o Governo da Argentina disse que a Argentina é a favor da resolução do conflito de Artsakh (Nagorno/Karabakh) entre a Armênia e Azerbaijão, em conformidade com as resoluções da ONU. Por fim, o diplomata disse também aos presidentes das duas casas do parlamento que “em consideração a posição da Argentina sobre este conflito e ao longo desenvolvimento da cooperação entre nossos países tenho a honra de solicitar a sua intervenção para que a reunião não seja realizada”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *