Home Eventos Ciclo Cultural promovido pelo Estação Armênia e pela SAMA reúne dezenas de pessoas

Ciclo Cultural promovido pelo Estação Armênia e pela SAMA reúne dezenas de pessoas

1

Aconteceu no dia 20 de abril de 2014, o “Ciclo Cultural” promovido pelo Portal Estação Armênia e pelo SAMA-Clube Armênio no salão do clube na zona sul de São Paulo.

a partir da esquerda: Onnig Tamdjian, Marcelo Mirzeian e Heitor Loureiro
a partir da esquerda: Onnig Tamdjian, Marcelo Mirzeian e Heitor Loureiro

O evento começou com a apresentação da história e das atividades do Portal Estação Armênia nos últimos 4 anos pelo editor-chefe Armen K. Pamboukdjian, logo após as breves palavras do diretor do departamento jovem da SAMA, Denis Tchobnian.

Após essas falas, foi exibido o filme As “Tatuagens da Minha Avó”, da diretora armênia radicada na Suécia Suzanne Khardalian. O documentário, legendado com exclusividade pelo Portal Estação Armênia emocionou a todos os presentes com a triste história de uma família cuja matriarca sofreu as mais diversas violências enquanto tentava escapar da morte durante o genocídio.

Na sequência, iniciou-se uma mesa redonda para debater o Genocídio Armênio e suas consequências, com os professores James Onnig Tamdjian, Heitor Loureiro, acompanhado pelo diretor-geral do Portal, Marcelo Mirzeian. O sentido do genocídio, as razões para lutar pelo reconhecimento e contra o negacionismo foram os principais pontos levantados pelos debatedores, que contaram com perguntas dos presentes para dissertarem sobre os assuntos.

O maestro e multi-instrumentista Alexey Kurkdjian e seus convidados deram o toque artístico do evento, executando conhecidas músicas armênias que fizeram referências à ancestralidade da pátria-mãe e aos momentos de luta do povo armênio.

Logo após, o matemático carioca Yuri Kebian fez uso da palavra para contar as suas experiências como voluntário na Armênia por seis meses e motivou mais jovens a irem até ao país conhecer suas origens.

Para encerrar, o escritor Luís Carlos Magaldi apresentou o romance histórico “O Grito do Cordeiro, livro publicado pela Editorial 25 que conta a história de uma jovem armênia que luta para sobreviver ao genocídio e vive um amor proibido com um turco.

Hoje os eventos rememorativos continuam com os cultos religiosos nas igrejas armênias de São Paulo, seguidas de uma procissão até o monumento aos mortos no genocídio localizado na Praça Armênia. Para conferir os demais eventos da semana, clique aqui.

Comment(1)

  1. Realmente foi tudo muito emocionante e triste, com as lembranças do sofrimento de nossos antepassados tão próximo: Pai, Mãe, Avós, Tios e uma nação inteira quase que dizimada, por turcos otomanos. O alento, vem de jovens que estão tomando a frente desta questão tão dolorosa e delicada, para mostrar, que nós existimos sim…. e vamos existir sempre! Vamos de maneira civilizada, buscar o reconhecimento de tudo que nossos antepassados sofreram. GENOCÍDIO JAMAIS, PARA NINGUÉM E NENHUM POVO!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *